Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel das metaloproteinases e das células satélites no músculo plantar durante o envelhecimento

Processo: 15/20452-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2015
Vigência (Término): 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Maeli Dal Pai
Beneficiário:Francielle Caroline Mosele
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Envelhecimento   Sistema musculoesquelético   Debilidade muscular   Regeneração muscular   Células satélites de músculo esquelético   Processos fisiológicos   Metaloproteinases   Matriz extracelular   Zimografia   Western blotting

Resumo

No envelhecimento há um declínio progressivo da força muscular, sendo este um processo fisiológico que gera fraqueza muscular, aumentando o risco de queda, especialmente em idosos, podendo levar à morte. A regeneração muscular também é alterada no envelhecimento, o que leva a uma deficiência neste processo e um comprometimento da manutenção da massa muscular, devido à diminuição do número ou da atividade de células satélites (CS). As CS são células miogênicas indiferenciadas que podem ser ativadas em resposta a miotraumas severos ou adaptativos, sendo esse processo importante para a regeneração, manutenção e turnover da massa muscular. Essas células expressam marcadores miogênicos, como o Pax7, no estado quiescente; e fatores de regulação miogênica, como o MyoD e Miogenina. Durante o processo de regeneração muscular, as CS migram em direção a matriz extracelular que exerce um papel importante na ativação e proliferação dessas células. As MMPs (Metalloproteinases) da matriz extracelular, endoproteases capazes de clivar componentes da matriz extracelular, como colágeno, elastina e fibrilina, exercem um papel fundamental nesse processo. O objetivo do trabalho é avaliar o papel das MMPs e das células satélites no músculo estriado durante o envelhecimento. Serão utilizados 24 ratos Wistar machos envelhecidos por 3, 12 e 22 meses. Ao final do experimento os animais serão pesados e sacrificados para a coleta de amostras do músculo plantar (PL), para as análises morfológica, molecular e proteica. Para análise morfológica será realizada a coloração de Hematoxilina-Eosina e posteriormente mensurada a Área de Secção Transversal (AST) das fibras musculares. A análise da expressão dos genes MyoD, Miogenina, Pax 7, das MMP-2 e MMP-14 e do Colágeno I-±I será realizada através do RT-qPCR, a análise da expressão proteica será realizada através da técnica de Western Blot e a análise da atividade proteolítica através da técnica de zimografia. Os dados serão submetidos para análise estatística apropriada.