Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel das metaloproteinases e das células satélites no músculo plantar durante o envelhecimento

Processo: 15/20452-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2015
Vigência (Término): 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Maeli Dal Pai
Beneficiário:Francielle Caroline Mosele
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Envelhecimento   Matriz extracelular   Metaloproteinases

Resumo

No envelhecimento há um declínio progressivo da força muscular, sendo este um processo fisiológico que gera fraqueza muscular, aumentando o risco de queda, especialmente em idosos, podendo levar à morte. A regeneração muscular também é alterada no envelhecimento, o que leva a uma deficiência neste processo e um comprometimento da manutenção da massa muscular, devido à diminuição do número ou da atividade de células satélites (CS). As CS são células miogênicas indiferenciadas que podem ser ativadas em resposta a miotraumas severos ou adaptativos, sendo esse processo importante para a regeneração, manutenção e turnover da massa muscular. Essas células expressam marcadores miogênicos, como o Pax7, no estado quiescente; e fatores de regulação miogênica, como o MyoD e Miogenina. Durante o processo de regeneração muscular, as CS migram em direção a matriz extracelular que exerce um papel importante na ativação e proliferação dessas células. As MMPs (Metalloproteinases) da matriz extracelular, endoproteases capazes de clivar componentes da matriz extracelular, como colágeno, elastina e fibrilina, exercem um papel fundamental nesse processo. O objetivo do trabalho é avaliar o papel das MMPs e das células satélites no músculo estriado durante o envelhecimento. Serão utilizados 24 ratos Wistar machos envelhecidos por 3, 12 e 22 meses. Ao final do experimento os animais serão pesados e sacrificados para a coleta de amostras do músculo plantar (PL), para as análises morfológica, molecular e proteica. Para análise morfológica será realizada a coloração de Hematoxilina-Eosina e posteriormente mensurada a Área de Secção Transversal (AST) das fibras musculares. A análise da expressão dos genes MyoD, Miogenina, Pax 7, das MMP-2 e MMP-14 e do Colágeno I-±I será realizada através do RT-qPCR, a análise da expressão proteica será realizada através da técnica de Western Blot e a análise da atividade proteolítica através da técnica de zimografia. Os dados serão submetidos para análise estatística apropriada.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.