Busca avançada
Ano de início
Entree

Restrição proteica perinatal e a sua repercussão sobre a próstata de ratos pré-púberes: associação entre a via de sinalização da Insulina/IGF, proliferação celular e expressão de receptor de andrógeno

Processo: 15/18999-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2016
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Luis Antonio Justulin Junior
Beneficiário:Suelen Franco
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Biologia do desenvolvimento   Insulina

Resumo

Condições gestacionais adversas podem acarretar alterações morfofuncionais irreversíveis no feto, condição conhecida como Programação Fetal Gestacional (PFG). A restrição proteica in útero, modelo extensamente estudado de PFG, tem como consequência baixo peso ao nascimento, assim como o aumento da incidência de desenvolvimento de resistência à insulina e diabetes tipo II na idade adulta. A PFG também altera os níveis de hormônios esteroides e de fatores de crescimento, tais como insulina/IGFs na prole. Esta via de sinalização também tem sido associada à morfogênese e manutenção da morfofisiologia prostática. Considerando estudos recentes do nosso grupo que demonstraram o atraso no desenvolvimento da próstata em animais submetidos à restrição proteica gestacional, este projeto tem como objetivo caracterizar a expressão gênica e proteica dos componentes da via de sinalização da insulina/IGF durante o desenvolvimento prostático normal, assim como associar possíveis alterações desta via de sinalização ao atraso no desenvolvimento glandular causado pela restrição proteica gestacional/lactacional nestes períodos. Para isso, ratos Sprague Dawley nascidos de mães alimentadas com ração normal (17% de proteína, grupo controle) ou com ração hipoproteica (6% de proteína) durante a gestação (grupo RPG), ou durante a gestação e lactação (grupo RPGL) serão utilizados. Os lobos prostáticos ventrais (PV) e o sangue serão coletados nos dias pós-natal (DPN) 10 e 21. Serão efetuadas dosagens hormonais de testosterona, estradiol, IGF-1 e insulina no sangue dos animais dos diferentes grupos experimentais; análises dos parâmetros morfológicos e morfométricos da glândula; análises imunohistoquimicas para receptor de andrógeno (AR) e Ki67, de PCR em tempo real para o transcrito da insulina, IGF-1 e 2 e seu receptor (IGFR1), e de western blotting (apenas para o DPN21) para estes componentes da via de sinalização da insulina/IGF, que serão relacionados com possíveis alterações morfofuncionais na próstata ventral dos animais dos diferentes grupos. Este projeto se insere na linha de pesquisa contemplada por um projeto de auxílio regular e um projeto de doutorado, ambos aprovados pela FAPESP que se encontra em andamento (Proc. Nº. 2013/24230-5 e 2014/08531-8).

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.