Busca avançada
Ano de início
Entree

Os primeiros passos da formação de novas espécies: depressão por alogamia e sistema de cruzamento de Epidendrum secundum (Orchidaceae)

Processo: 15/16657-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica
Pesquisador responsável:Fábio Pinheiro
Beneficiário:Sarah Bayod Bianchessi
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Orchidaceae   Isolamento reprodutivo   Evolução vegetal

Resumo

Plantas possuem sistemas reprodutivos variados, e a evolução e surgimento de novas espécies depende diretamente das características reprodutivas de uma determinada população. Transições entre sistemas autocompatíveis e autoincompatíveis podem ser acompanhadas pela formação de barreiras reprodutivas entre as populações com características reprodutivas distintas. O surgimento de barreiras reprodutivas entre espécies de uma mesma população pode indicar os primeiros estágios de formação de novas espécies. Resultados prévios obtidos para Epidendrum denticulatum (Orchidaceae) indicam a ocorrência de depressão por alogamia, ou seja, uma queda de fertilidade em cruzamentos envolvendo indivíduos provenientes de diferentes populações. A ocorrência deste fenômeno em outras espécies pode indicar sua importância no surgimento da elevada diversidade observada em Epidendrum. O objetivo deste trabalho é testar a hipótese de que a depressão por alogamia ocorre entre diferentes populações de Epidendrum secundum, uma espécie amplamente distribuída nas regiões tropicais de altitude na América do Sul. Experimentos de biologia reprodutiva serão conduzidos em indivíduos mantidos em cultivo em casa de vegetação com o objetivo de caracterizar o sistema de cruzamento, fertilidade e compatibilidade reprodutiva entre indivíduos de E. secundum provenientes de diferentes populações. Este projeto está inserido num contexto multidisciplinar, onde análises morfológicas e genéticas estão sendo conduzidas com as mesmas plantas, seguindo os princípios da taxonomia integrativa. (AU)