Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da poluição marinha sobre os neurônios entéricos NADH - reativos de baiacus Sphoeroides testudineus (LINNEAUS, 1758) (Tetraodontidae)

Processo: 15/19701-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2015
Vigência (Término): 30 de novembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Anatomia
Pesquisador responsável:Renata de Britto Mari
Beneficiário:Alexandre Rodrigo Nascimento Gonçalves
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB-CLP). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental do Litoral Paulista. São Vicente , SP, Brasil
Assunto(s):Gastroenterologia   Poluição do mar   Sistema nervoso entérico   Impactos ambientais   Microscopia   Histoquímica   Teste de Tukey

Resumo

O Sistema Nervoso Entérico (SNE) é uma subdivisão do Sistema Nervoso Autônomo composto por uma rede de neurônios e células da Glia que se distribuem por todo trato digestório (TD). Essa rede de neurônios está dividida em dois plexos principais: o mioentérico e o submucoso, estando o primeiro normalmente entre as túnicas musculares e o segundo na camada submucosa do TD. O SNE é responsável pela regulação dos movimentos peristálticos, contrações e relaxamento intestinal e excreção de produtos químicos do intestino, sendo assim muito importante para a obtenção de nutrientes e controle do transito do alimento no TD. O SNE está presente desde os invertebrados, como os artrópodes, até os animais mais derivados como os mamíferos, onde é possível perceber uma diversidade morfológica entres os grupos, entretanto mantendo o mesmo padrão de rede. Em vertebrados o plexo mioentérico é muito semelhante em todos os grupos, variando apenas no tamanho das células nervosas, assim como no tamanho dos gânglios entéricos. Vários estudos têm sido realizados para investigar a plasticidade do SNE, assim como, alterações frente a agentes externos, tais como alimentos contaminados, variações na dieta e doenças. Estudos que visam avaliar os efeitos da contaminação sobre o SNE da biota marinha são bastante escassos, assim, considerando que o TD é umas das primeiras portas de entrada de contaminantes do ambiente externo este trabalho tem por objetivo analisar quais os efeitos da poluição marinha sobre os neurônios entérico de peixes, no caso baiacus Sphoeroides testudineus. Para tanto, serão coletados espécimes de duas regiões, sendo uma impactada representada pela região de São Vicente e uma região não impactada representada pela Estação Ecológica Estadual da Juréia-Itatins. Após coletados e identificados 20 exemplares de baiacus Sphoeroides testudineus em cada região terão os intestinos coletados e destinados a técnica histoquímica de NADH-diaphorase para marcação dos neurônios mioentéricos metabolicamente ativos. Os neurônios serão quantificados em 60 campos microscópicos, mensurados e os resultados analisados pelo teste de Tukey.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
NASCIMENTO GONCALVES, ALEXANDRE RODRIGO; MARINSEK, GABRIELA PUSTIGLIONE; DE SOUZA ABESSA, DENIS MOLEDO; MARI, RENATA DE BRITTO. Adaptative responses of myenteric neurons of Sphoeroides testudineus to environmental pollution. NeuroToxicology, v. 76, p. 84-92, JAN 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.