Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do protocolo de treinamento nas respostas prematuras na tarefa de DRRD

Processo: 15/22171-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2016
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Pesquisador responsável:Marcelo Bussotti Reyes
Beneficiário:Luana Prado Rolim de Oliveira
Instituição-sede: Centro de Matemática, Computação e Cognição (CMCC). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Percepção de tempo

Resumo

Uma tarefa bastante utilizada no estudo da percepção do tempo em ratos é a de de reforço diferencial de acordo com a duração de resposta (Differential Reinforcement of Response Duration - DRRD). Nesta tarefa, o sujeito experimental precisa sustentar uma resposta (pressionar uma alavanca, por exemplo) por um tempo mínimo denominado de critério. Respostas com duração superiores ao critério são reforçadas enquanto as inferiores não geram consequências. Ao ser exposto a diversas destas tentativas, os sujeitos modificam o comportamento e passam a gerar respostas mais longas, com tempo médio superior ao critério e com uma distribuição similar a uma gaussiana. No entanto, um número significativo de respostas curtas também é observado, onde os animais estão claramente desengajados da tarefa. Tais respostas são denominadas de prematuras e são observadas mesmo após muitas sessões de treinamento. Estas respostas não geram reforço e o fato delas não serem extintas ainda é objeto de estudo. Uma hipótese possível para a permanência das respostas prematuras está no protocolo de treinamento. Tipicamente os animais são treinados para pressionar as alavancas por uma ou duas sessões, antes do protocolo de DRRD propriamente dito. Nesta etapa, os sujeitos são reforçados por qualquer resposta, independente de sua duração, e portanto são reforçados diversas vezes para tempos muito curto. Assim, a permanência das respostas prematuras em animais treinados pode ser um reflexo comportamental desta fase incial de treinamento. Para investigar esta questão, propomos uma modificação do protocolo de treinamento, eliminando a fase inicial, passando diretamente para o protocolo de DRRD e fazendo com que os ratos nunca sejam reforçados para respostas curtas. Nossas hipóteses são de que i) haverá uma diminuição das respostas prematuras nas fases mais avançadas de treinamento e ii) a velocidade de aprendizagem dos animais será maior do que no protocolo convencional. Acreditamos que tais resultados possam contribuir no entendimento dos mecanismos funcionais relacionados à aprendizagem temporal e podem gerar uma protocolo de treinamento mais rápido.