Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação molecular e funcional da interação de DUSP3 com proteínas nucleares: implicações em mecanismos de Reparo de DNA

Processo: 15/26709-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2016
Vigência (Término): 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Fábio Luis Forti
Beneficiário:Jessica Oliveira Farias
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/03983-0 - Investigação molecular e funcional da interação de DUSP3 com proteínas nucleares: implicações em mecanismos de reparo de DNA, AP.R
Assunto(s):Proteínas tirosina fosfatases   Transdução de sinais   Ciclo celular

Resumo

Proteínas tirosina fosfatases (PTPs) regulam a sinalização e outros processos bioquímicos através da desfosforilação de resíduos de tirosina e impedimentos no seu funcionamento podem levar a diversas doenças. Dentro da grande família de PTPs está a classe das tirosina fosfatases de especificidade dual (DUSP) compreendendo as MAP quinase fosfatases (MKPs) e outro subgrupo de DUSPs "atípicas", o qual inclui a proteína DUSP3 ou VHR (Vaccinia virus VH1-related phosphatase). Esta enzima exibe o domínio de fosfatase clássico e tem funções conhecidas de desfosforilar JNK e ERK; porém novos substratos de DUSP3 como STAT5 (Hoyt R et al, 2007) e ERBB2 (Wang JY et al, 2011) foram identificados atribuindo à esta enzima possíveis novas funções biológicas, nucleares e membranares.Resultados de nosso grupo mostram que VHR é uma proteína fosfatase estável à degradação e de alta expressão ao longo das diferentes fases do ciclo celular que migra rapidamente para o núcleo de células tumorais humanas após receberem radiação gama ou ultravioleta (UV). VHR encontra-se em focos de DNA danificado por quebra na dupla fita e co-localiza-se com Histona H2AX fosforilada, bem como outras proteínas envolvidas direta ou indiretamente com mecanismos de reparo de DNA, como Nibrina (NBS1), Nucleolina (NUCL), Nucleofosmina (NPM) e Ribonucleoproteina C (hnRNP C) (Panico K & Forti FL, 2013; Forti FL, 2014). De acordo com estas informações recentes, este projeto visa aumentar o conhecimento acerca de mecanismos moleculares de ação de DUSP3 no núcleo, através investigação dos níveis de expressão destas quatro proteínas em células normais e deficientes na via de reparo por excisão de nucleotídeos (NER) que foram previamente silenciadas para DUSP3, após lesão promovida por radiação ultravioleta. A abordagem da hipótese levantada envolverá uma etapa experimental, envolvendo cultura de células humanas, promoção de lesão no DNA e investigação da proteína DUSP3 com uso da tecnologia convencional do DNA recombinante e técnicas bioquímicas clássicas.