Busca avançada
Ano de início
Entree

Inflorescências de Croton L.: arquitetura, sexualidade e associações genéticas

Processo: 15/25551-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 30 de julho de 2016
Vigência (Término): 29 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Morfologia Vegetal
Pesquisador responsável:Diego Demarco
Beneficiário:Karina Bertechine Gagliardi
Supervisor no Exterior: Gerhard Prenner
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Royal Botanic Gardens, Kew, Inglaterra  
Vinculado à bolsa:14/08354-9 - Evolução floral em espécies de Croton L. (Euphorbiaceae): ontogênese e perfil global de expressão gênica, BP.DR
Assunto(s):Expressão gênica

Resumo

Euphorbiaceae é uma família com muitos representantes e conhecida pela sua diversidade floral e pela presença de diferentes inflorescências racemosas ou cimosas. Esta diversidade é notável nas flores e inflorescências de Croton L., o segundo maior gênero na família, que é composto por cerca de 1.200 espécies, e que conta com uma diversidade de formas florais e estruturas transitórias nas flores pistiladas e estaminadas, além de diferentes padrões de arquitetura das inflorescências. A maioria das flores em Croton são distribuídas em inflorescências do tipo tirso, em que as flores pistiladas basais são, por vezes, solitárias e as flores estaminadas estão dispostas em cimeiras e localizadas anteriormente, embora alguns autores analisaram três padrões de tirso, que mostram flores estaminadas e pistiladas diferentemente distribuídos ao longo do eixo inflorescência. Estas variações nas flores e inflorescências podem ser melhor compreendidas através da análise morfológica, ontogenética, e da expressão dos genes homeóticos durante o desenvolvimento floral, compreendendo a área evolutiva do desenvolvimento (evo-devo). O objetivo desta pesquisa é investigar a morfologia das flores e os padrões de ramificação das inflorescências de Croton L., e relacionar estes dados com inferências genéticas sobre a expressão dos genes homeóticos, a fim de compreender alguns passos que durante a evolução originaram diferentes tirsos e estruturas transitórias em flores Croton L., além de auxiliar na compreensão da evolução das flores em Euphorbiaceae. O material a ser analisado neste estudo será obtido a partir de exsicatas que compreendem espécies Croton L., depositado no Royal Botanical Gardens, Kew. As espécies serão caracterizadas morfologicamente usando o respectivo modelo e os caracteres relevantes serão documentados usando microscópio estereoscópico. Os resultados esperados do estágio no exterior são para apoiar a hipótese de que existem estruturas transitórias nas flores pistiladas e estaminadas de Croton L., tais como estaminódios e nectários, e também para verificar que provavelmente ocorrem mais de três padrões de inflorescência no gênero, discutindo assim que os genes homeóticos têm diferentes expressões em cada tipo de inflorescência.Palavras-chave: expressão gênica, flores pistiladas, flores estaminadas, morfologia floral, tirso.