Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de macrófagos associados ao tumor M1 e M2 em resposta ao peptídeo antitumoral C36L1.

Processo: 15/23898-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 04 de julho de 2016
Vigência (Término): 03 de julho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Luiz Rodolpho Raja Gabaglia Travassos
Beneficiário:Carlos Rogerio de Figueiredo
Supervisor no Exterior: Ainhoa Mielgo Iza
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Liverpool, Inglaterra  
Vinculado à bolsa:14/50723-1 - Mecanismo de ação do peptídeo C36L1, um agente despolimerizador de microtúbulos, na ativação de células dendríticas e na terapia do melanoma metastático, BP.PD
Assunto(s):Imunologia   Peptídeos   Citocinas   Melanoma   Metástase

Resumo

A resposta antitumoral efetiva envolve diversos mecanismos efetores que incluem anticorpos, linfócitos T, citocinas, macrófagos e células dendríticas como elementos centrais, associando o reconhecimento de antígenos tumorais para uma resposta imune antitumoral. Nosso laboratório, em colaboração com pesquisadores da universidade de Parma, na Itália, tem mostrado que sequencias de pequenos peptídeos de regiões determinantes de complementariedade (CDRs) de imunoglobulinas exercem atividades anti-infectivas, imunomodulatórias e anti-tumorais, independente da especificidade do anticorpo de origem. Mostramos que o peptídeo sintético C36L1 derivado de CDR apresentou efeitos anti-tumorais relevantes contra o melanoma, ambos in vitro e in vivo. Administrações intraperitoneais do C36L1 em modelo singênico de melaoma metastático induziu significativa proteção imunológica, com elevado infiltrado de células T CD4+ e CD8+, em conjunto com macrófagos F4/80+ CD40+. Monócitos podem atingir o estroma tumoral, se diferenciar em macrófagos e polarizarem para células pró-inflamatórias do tipo M1 ou imunossupressoras do tipo M2. Particularmente, o tipo M1 tem mostrado um papel muito importante na erradicação de melanomas bem estabelecidos e ao tipo M2 são atribuídos efeitos imunossupressores. Desta forma, o entendimento fenotípico e funcional de macrófagos do tipo M1 ou M2 no infiltrado tumoral em resposta ao tratamento com o peptídeo C36L1 contra o melanoma é de grande importância para o projeto atual. Este irá permitir a identificação de mecanismos imunomodulatórios chaves envolvidos na atividade antitumoral induzida pelo peptídeo C36L1.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FIGUEIREDO, CARLOS R.; AZEVEDO, RICARDO A.; MOUSDELL, SASHA; RESENDE-LARA, PEDRO T.; IRELAND, LUCY; SANTOS, ALMUDENA; GIROLA, NATALIA; CUNHA, RODRIGO L. O. R.; SCHMID, MICHAEL C.; POLONELLI, LUCIANO; TRAVASSOS, LUIZ R.; MIELGO, AINHOA. Blockade of MIF-CD74 Signalling on Macrophages and Dendritic Cells Restores the Antitumour Immune Response Against Metastatic Melanoma. FRONTIERS IN IMMUNOLOGY, v. 9, MAY 23 2018. Citações Web of Science: 6.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.