Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação prospectiva dos efeitos da estimulação cerebral profunda do globo pálido interno sobre a distonia primária: paralelo entre aspectos clínicos e neurofisiológicos envolvidos na evolução da doença

Processo: 15/20332-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2016
Vigência (Término): 31 de julho de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Rubens Gisbert Cury
Beneficiário:Rubens Gisbert Cury
Anfitrião: Elena Moro
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Centre Hospitalier Universitaire de Grenoble, Site Nord (CHU), França  
Assunto(s):Distonia   Globo pálido   Neurologia   Eletrofisiologia

Resumo

A distonia é um transtorno do movimento caracterizado por contrações musculares involuntárias, com grande impacto na qualidade de vida. A sua fisiopatologia não é bem compreendida, e alguns estudos mostraram uma atividade neuronal patológica cortical e nos gânglios da base. A estimulação cerebral profunda (ECP) do globo pálido (Gpi) é um tratamento eficaz nas distonias refratárias, e permite o estudar a fisiopatologia da distonia através do registro de potenciais elétricos de campo local (PECL). Estudos recentes sugerem a presença de uma sincronização da atividade elétrica patológica em baixas frequências no GPi que poderia ser suprimida pela ECP. O estudos sobre os PECL e a sua modulação pela ECP são escassos. Uma nova técnica de ECP, adaptativa, vem sendo desenvolvida para ajustar a energia elétrica fornecida pela ECP às mudanças concomitantes registradas através dos PECL. Esta técnica permite otimizar os efeitos clínicos da ECP, além de estudar os mecanismos fisiopatológicos da distonia. O presente estudo propõe estudar a atividade elétrica do globo pálido através dos PECL e a sua relação com a atividade do córtex cerebral, através do eletroencefalograma. Doze pacientes com distonia refratária participarão do estudo, e serão avaliados após a cirurgia com o registro da atividade elétrica do globo pálido na fase aguda e crônica após a cirurgia, sendo os seus efeitos motores também registrados. O estudo permitirá compreender melhor a fisiopatologia da distonia e os mecanismos de ação da ECP. Os resultados irão orientar novas pesquisas sobre o estudo fisiopatológico desta doença, além de novas estratégias terapêuticas. (AU)