Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterizando substratos e proteínas parceiras das aPKCs no processo de polarização celular

Processo: 15/24046-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 20 de maio de 2016
Vigência (Término): 19 de maio de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Deborah Schechtman
Beneficiário:Deborah Schechtman
Anfitrião: Sourav Ghosh
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Yale School of Medicine (YSM), Estados Unidos  
Assunto(s):Substratos   Polaridade celular   Proteínas quinases

Resumo

A polaridade celular é essencial para a diferenciação, crescimento de leveduras, divisão celular assimétrica, morfogênese, transporte de moléculas pelas camadas epiteliais, migração celular e transmissão do impulso nervoso (possivel pela especificação do axônio e a polaridade morfológica do neurônio) dentre outros processos. As proteína quinases C atípicas (aPKC) tem sido descritas como componentes chaves na determinação da polaridade celular interagindo com o Partitioning defective complex (Par complex). De fato as aPKCs tem um papel na manutenção da polaridade celular em diversas células incluindo o ovo fertilizado e células epiteliais. Especificamente no que diz respeito polaridade neuronal estudos prévios do laboratório do Dr. Ghosh demonstrou que a aPKC iota tem um papel na especificação neuronal. Em contraste, uma forma da aPKC zeta, regulada diferencialmente denominada aPKCM zeta que não contém o domínio regulatório da PKCzeta, tem um papel chave na inibição da diferenciação de neuritos em axônios. Ambas as proteínas podem se ligar a Par3 e suas funções antagônicas são baseadas na competição pela ligação a Par3. Perda de polaridade também é uma característica de células tumorais e and da transição epitélio mesenchimal (EMT). Estudos recentes ainda nao publicados do laboratório do Dr. Ghosh observou a expressão da PKCMzeta em carcinomas. Porém, mmecanismos da sinalização das aPKCs, eespecificamente da PKCMzeta, nesses processos ainda não está bem compreendido. Dessa forma no presente projeto pretendemos identificar e caracterizar substratos e proteínas ligantes das aPKCs, incluindo das PKMzeta, e determinar vias de sinalização involvidas na especificação do axônio e na polaridade epitelial. Os componentes e princípios identificados nesse estudo podem ser estrapolados para a regulação da polaridade em geral.