Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da regulação transcricional e pós-transcricional dos receptores de estrógeno (er) nas alterações em carótidas mediadas por estrógeno no modelo murino fêmea de envelhecimento

Processo: 15/26690-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2016
Vigência (Término): 31 de março de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Cardiorenal
Pesquisador responsável:Maria Helena Catelli de Carvalho
Beneficiário:Tiago Januário da Costa
Supervisor no Exterior: Ana Paula Villela Dantas
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Institut d’Investigacions Biomèdiques August Pi i Sunyer (IDIBAPS), Espanha  
Vinculado à bolsa:13/19423-9 - Avaliação do(s) efeito(s) do tratamento hormonal com estrógeno em carótidas de fêmeas senescentes: influência da regulação epigenética, BP.DR
Assunto(s):Endotélio   Envelhecimento   Epigênese genética   Estrógenos   Reatividade cardiovascular

Resumo

O risco do desenvolvimento de doenças cardiovasculares na pós-menopausa tem sido associada com a redução dos níveis plasmáticos de estrógeno. Entretanto, os resultados benéficos do estrógeno sobre a função vascular periférica observados em modelos experimentais são contraditórios aos observados em estudos clínicos. A contradição entre os estudos tem sido atribuída à disparidade de idade. Nos estudos clínicos as mulheres tinham em média 10 anos acima do início da pós-menopausa e nos estudos experimentais foi utilizado modelos jovens ovariectomizadas. Sabe-se que o envelhecimento per se altera uma série de mecanismos endógenos que controlam a função cardiovascular e contribuem para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Com isso, o estrógeno pode promover efeitos diferentes do estrógeno no processo de envelhecimento e no tempo de início do tratamento.Os estudos desenvolvidos atualmente em nosso laboratório, juntamente com o observado na clínica, tem demonstrado que o estrógeno dependendo do tempo de início do tratamento tem efeitos opostos no sistema cardiovascular de animais senescentes (modelo jovem) e não senescentes (modelo envelhecimento). O efeito oposto foi observado na função de carótidas de fêmeas SAMR1, fêmeas não senescentes, e SAMP8, fêmeas senescentes. Além disso, nosso trabalho descreveu que o estrógeno no envelhecimento atua sobre a produção os prostanóides vasoconstritores. Neste projeto temos por objetivo complementar os resultados já observados testando a hipótese de que as alterações nas carótidas das fêmeas senescentes com tratamento precoce e tardio com estrógeno tem participação dos receptores de estrógeno (ERa e ERb ) e que a metilação do DNA pode ser o fator determinante para as alterações.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
COSTA, TIAGO JANUARIO; JIMENEZ-ALTAYO, FRANCESC; ECHEM, CINTHYA; AKAMINE, ELIANA HIROMI; TOSTES, RITA; VILA, ELISABET; DANTAS, ANA PAULA; CATELLI DE CARVALHO, MARIA HELENA. Late Onset of Estrogen Therapy Impairs Carotid Function of Senescent Females in Association with Altered Prostanoid Balance and Upregulation of the Variant ER alpha 36. CELLS, v. 8, n. 10 OCT 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.