Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel de adesinas e a influência de anticorpos antpigeno-específicos na adesão de Sporotrhix schenckii e Sporothrix brasiliensis

Processo: 15/21501-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2016
Vigência (Término): 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia
Pesquisador responsável:Iracilda Zeppone Carlos
Beneficiário:Maria Luiza de Aguiar Loesch
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Sporothrix schenckii   Adesinas   Esporotricose   Anticorpos   Imunologia celular

Resumo

Esporotricose é a infecção fúngica subcutânea distribuída por todo o mundo, especialmente em zonas tropicais e subtropicais. É uma micose granulomatosa aguda ou crônica causada por fungos termodimórficos presentes nos solos, plantas e materiais orgânicos contaminados do complexo de espécies de S. schenckii, pode acometer animais e seres humanos, através de inoculação pós-traumáticas dos fungos. A transmissão zoonótica é possível e envolve, mais frequentemente, gatos, roedores e tatus. Duas espécies patogênicas têm sido associadas às áreas endêmicas: S. schenckii e S. brasiliensis. Uma alta prevalência de S. brasiliensis, a espécie mais virulenta do complexo, tem sido relatada em gatos. A parede fúngica protege a célula e é o primeiro ponto de contato com o hospedeiro. Em S. schenckii, a parede celular é composta por compostos peptídico-polissacarídicos chamados de exoantígenos. A capacidade de adesão de um fungo é importante na colonização de diferentes extratos ambientais, e é essencial para o estabelecimento da infecção. Adesinas são em sua maioria glicoproteínas microbianas específicas que medeiam a adesão a tecidos do hospedeiro através da interação com algumas das proteínas da matriz extracelular do hospedeiro. As glicoproteínas gp60 e a gp70 têm sido demonstradas como os componentes mais imunogênicos da parede celular da fase leveduriforme de S. schenckii. A partir do isolado de proteínas da parede celular da levedura de S. schenckii e S. brasiliensis, serão produzidos soros policlonais em camundongos, os quais serão utilizados para ensaios que avaliam a inibição da adesão, a formação de biofilme, a opsonofagocitose e o perfil de citocinas produzidas durante esse processo. Entretanto, o objetivo deste estudo é determinar a importância dos anticorpos antígeno-específicos contra as proteínas da parede celular de S. schenckii e S. brasiliensis na inibição da adesão fúngica.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
LOESCH, Maria Luiza de Aguiar. Avaliação das propriedades adesivas e imunogênicas da enolase de Sporothrix spp.. 2017. 83 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciências Farmacêuticas..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.