Busca avançada
Ano de início
Entree

Fingerprint de metabólitos secundários em extratos de cumarú (Dipteryx odorata) e guaçatonga (Casearia Sylvestris)

Processo: 15/24086-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2016
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Maria de Lourdes Leite de Moraes
Beneficiário:Thais Codogno Franco
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Assunto(s):Metabólitos secundários

Resumo

O perfil metabólico de um extrato de planta nos dá informações sobre os compostos biologicamente ativos presentes no extrato. Este fingerprint tem estimulado abordagens integradas capazes de fornecer informações acerca dos processos de sinergismo e das interações envolvidas nas respostas farmacológicas de matrizes bioativas complexas. O uso de protocolos em eletroforese capilar (CE) tem sido empregado em nosso grupo para a análise de extratos brutos de plantas, fornecendo resultados bem satisfatórios. Este projeto visa estabelecer o perfil eletroforetico de metabólitos secundários presentes em extratos polares e apolares de sementes de cumaru (Dipteryx odorata) e em folhas de Guaçatonga (Casearia sylvestris), empregando protocolos em CE para avaliar alcaloides, ácidos carboxílicos e ácidos graxos. Os compostos fenolicos das referidas plantas já foram estudados em projeto anterior. A semente de cumaru tem alto valor comercial, sendo o extrato empregado tanto na indústria farmacêutica e alimentícia quanto na indústria cosmética. A semente possui alta concentração de cumarina (3% a 10%) e tem sido utilizada como substituto da baunilha em preparações gastronômicas. Apesar disto, até o momento, existem poucos relatos a respeito da composição total de metabólitos secundários dos extratos das sementes. A Guaçatonga é uma planta de grande destaque na medicina popular devido a suas propriedades anti-inflamatórias, antitumorais e antiulcerogênicas. O principal composto químico encontrado são as casearinas. Vários estudos já foram realizados com a Guaçatonga determinando as casearinas, porem, ainda não foi realizado o fingerprint do seu extrato, avaliando outros metabolitos.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.