Busca avançada
Ano de início
Entree

A experiência dos pacientes com câncer: os sentidos atribuídos à sobrevivência ao câncer

Processo: 15/24143-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem Médico-cirúrgica
Pesquisador responsável:Marcia Maria Fontão Zago
Beneficiário:Rafaela Azevedo Abrantes de Oliveira
Supervisor no Exterior: Sally Elizabeth Thorne
Instituição-sede: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of British Columbia (UBC), Canadá  
Vinculado à bolsa:14/12058-6 - Análise conceitual da sobrevivência ao câncer: contribuição par a conhecimento da enfermagem oncológica, BP.DD
Assunto(s):Antropologia médica   Enfermagem oncológica   Sobreviventes   Análise de sobrevivência   Paciente oncológico   Neoplasias

Resumo

O câncer ainda é uma doença temida e estigmatizada pela sociedade uma vez que sentencia o indivíduo ao sofrimento e à morte. No entanto, com o avanço tecnológico do diagnóstico e tratamento, bem como capacitação profissional nos mostra que há um aumento no número de sobreviventes da doença. Aceitar o desafio de se ver como um sobrevivente do câncer parece desempenhar um importante papel, pois permite que a pessoa diagnosticada pela doença integre a experiência da doença à sua identidade. No entanto nesse meio tempo é necessário reconhecer que as palavras não somente descrevem, mas constroem o fenômeno em questão. Assim, nossos objetivos são: analisar os sentidos atribuídos à sobrevivência ao câncer por adultos e idosos sobreviventes do câncer, usando a análise secundária e comparar esses sentidos atribuídos entre os sobreviventes do câncer brasileiros e canadenses. Para alcançar esses sentidos da sobrevivência é necessário adotar uma abordagem focada na cultura e nos aspectos contextuais que envolvem o conceito. Portanto, optamos pela antropologia médica, derivada da antropologia interpretativa que combina saúde, doença e cultura. Para desenvolver esse projeto nós optamos pela pesquisa qualitativa juntamente com o método narrativo e o referencial teórico da antropologia médica. Para a análise dos dados primários utilizaremos a análise temática dos dados. Com o intuito de aprofundar na análise dos dados e alcançar novos sentidos nós compararemos os dados do Brasil com os dados do Canadá de acordo com a análise de dados secundária. Em resumo, esse projeto terá dois momentos, o primeiro, será desenvolvido no Brasil, onde todas as narrativas construídas serão analisadas pela análise temática indutiva aqui no Brasil e consequentemente teremos os primeiros temas. Durante o estágio, eu e minha supervisora construiremos novas questões de pesquisa baseadas no conjunto de dados do Brasil e do Canadá, onde analisaremos segundo a análise secundária. A análise secundária qualitativa é um reexame de um ou mais dados qualitativos para buscar novas questões de pesquisa que sejam distintas das questões geradas no estudo primário. O que faremos é uma expansão analítica que é um termo usado para se referir a um tipo de estudo em que o pesquisador faz uso dos dados primários para alcançar novas questões não percebidas ou não elaboradas no estudo primário. (AU)