Busca avançada
Ano de início
Entree

Quando o romancista escreve no jornal: estudo de artigos jornalísticos de Marcel Proust

Processo: 15/23124-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de abril de 2016
Vigência (Término): 31 de julho de 2016
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Literaturas Estrangeiras Modernas
Pesquisador responsável:Alexandre Bebiano de Almeida
Beneficiário:Alexandre Bebiano de Almeida
Anfitrião: Nathalie Mauriac Dyer
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : École Normale Supérieure, Paris (ENS), França  
Assunto(s):Crônica jornalística   Literatura francesa

Resumo

O presente projeto faz parte de uma pesquisa mais ampla (de análises, de traduções comentadas, de análises comparadas) em torno de artigos jornalísticos de Proust - e tem o intuito de estudar não somente essa importante produção do autor francês, mas também a circulação e os ecos de práticas jornalísticas e literárias entre o Brasil e a França. Analisaremos assim as convenções e os protocolos que fazem parte de certos gêneros jornalísticos praticados por Proust. Acreditamos que tais gêneros e práticas devem ser investigados em suas manifestações concretas, seja no contexto francês, onde Proust publica, seja no contexto brasileiro, onde encontramos ecos importantes dessas práticas. Nesse sentido, esperamos aprofundar os estudos sobre as interações entre imprensa e literatura. Por meio de investigações e traduções de textos jornalísticos de Proust, acreditamos que seja possível abordar as relações entre literatura e imprensa de maneira geral - desde os problemas de um texto de pretensões literárias produzido para o horizonte curto e diário das colunas do jornal, até a questão da circulação de gêneros e formas nos jornais. Dessa forma, pretendemos trocar experiências e resultados com diversas pesquisas em curso no Brasil que se propõem a revisitar o corpus de diversos escritores em sua relação produtiva e problemática com o periodismo. Enfim, propondo estudos e traduções de artigos jornalísticos de Proust esperamos não somente contribuir para o desenvolvimento dos estudos proustianos no Brasil, mas também aprofundar uma vasta discussão sobre questões ligadas ao papel da imprensa para a formação e para a circulação da literatura nos séculos XIX e XX. (AU)