Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo das variações das assembleias de culicídeos (Diptera: Culicidae) nos diferentes estratos da vegetação e sua relação com hábitos alimentares

Processo: 15/25820-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2016
Vigência (Término): 31 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Pesquisador responsável:Mauro Toledo Marrelli
Beneficiário:Eduardo Evangelista
Instituição-sede: Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMT). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Entomologia   Mosquitos

Resumo

A família Culicidae, representada pelos mosquitos possui biodiversidade significativa e papel relevante na transmissão de patógenos ao homem, animais domésticos e silvestres. A maioria das fêmeas são hematófagas, alimentando-se em vários hospedeiros vertebrados. Em fragmentos de mata ainda existentes na cidade de São Paulo, como as Unidades de Conservação Parque Estadual da Cantareira e APA Capivarí-Monos, abrigam diversidade de mosquitos importantes para saúde pública e há positividade para malária em primatas e humanos. O conhecimento da bioecologia dos culicídeos evidencia que algumas espécies de mosquitos são acrodendrófilos, enquanto outras habitam os níveis mais próximos ao solo, e, ainda, para algumas espécies, as elevações verticais do gradiente vegetacional são indiferentes. Nesse contexto, é importante estudar além da estratificação vertical, os comportamentos alimentares de mosquitos, pois suas fontes de alimentação sanguínea são parâmetros significantes para compreender suas adaptações, para a avaliação de sua capacidade vetorial e para a compreensão dos ciclos de transmissão de doenças. Tendo em vista o fator relevante da presença de mosquitos nessas áreas e a proximidade do homem com a mata, o presente estudo tem o objetivo de investigar as variações das assembleias de culicídeos nos diferentes estratos da vegetação e sua relação com animais reservatórios nessas áreas com variados graus de interferência humana. Mensurar variações na riqueza, abundância e composição de culicídeos na altura do solo e das copas em ambientes com feições urbanas, rurais e silvestres nas duas áreas de estudo por 14 meses. Verificar os hábitos alimentares de mosquitos ingurgitados coletados nos diferentes estratos da vegetação de cada ambiente estudado, apontar espécies de mosquitos que possam servir de ponte para a circulação de patógenos, analisar como variações no ambiente podem influenciar a diversidade e o hábito alimentar de mosquitos.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.