Busca avançada
Ano de início
Entree

O uso da distribuição da abundância de espécies para avaliar alterações na diversidade das florestas tropicais

Processo: 15/26892-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 17 de maio de 2016
Vigência (Término): 16 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal
Pesquisador responsável:João Luís Ferreira Batista
Beneficiário:Rafaela Pereira Naves
Supervisor no Exterior: Vidar Groetan
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Local de pesquisa: Norwegian University of Science and Technology (NTNU), Noruega  
Vinculado à bolsa:14/09219-8 - Modelos de distribuição de abundância de espécies para avaliação do manejo florestal na Amazônia, BP.DR
Assunto(s):Parâmetros   Ecologia

Resumo

Florestas tropicais amazônicas têm alta biodiversidade e têm sido manejadas para fins de abastecimento de madeira. Tradicionalmente, a exploração convencional (EC) tem sido usado como o principal sistema de exploração, mas, desde 1980, práticas de manejo de impacto reduzido foram adotadas (EIR). Os impactos da exploração podem ser avaliados medindo parcelas permanentes. Algumas variáveis relacionadas com os impactos do manejo florestal já estão bem descritos, mas as mudanças na biodiversidade não. A maioria dos estudos que avaliam impactos da EIR e EC sobre a diversidade da comunidade arbórea utilizam índices de diversidade e composição floristíca. Estas comparações têm restrições quando o objetivo é comparar os dois métodos de exploração ou verificar a dinâmica da comunidade ao longo do tempo. Distribuição de abundância das espécies (DAE) vem recebendo atenção novamente, porque é um padrão que é mantido por todas as comunidades biológicas. Como um padrão, pode ser descrito por uma função de probabilidade com parâmetros. Neste estudo analisamos a mudança de forma curva da SAD comparando dois tipos de técnicas de exploração florestal (EC e EIR). A análise dos dados será obtida a partir de um experimento realizado em uma floresta tropical no Brasil. Em 1993, três parcelas permanentes foram estabelecidas e todos os indivíduos arbóreos com diâmetro à altura do peito (DAP) maior ou igual a 25 cm foram medidos e identificados. Em 1994, a primeira parcela foi explorada através de EC, a segunda por EIR e a última parcela foi mantida como controle, sem exploração. As parcelas foram então medidas novamente em 1994, 1998, 2000, 2003, 2006, 2009 e 2014, registrando a presença de quaisquer novos indivíduos de acordo com limite de inclusão. Para o presente estudo, a distribuição bivariada Poisson log normal será considerada para descrever pares de observação em diferentes épocas. Esta distribuição tem sigma_1 e sigma_2 que podem ser utilizados como medida da diversidade e rho, que representa a similaridade entre comunidades. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
NAVES, RAFAELA PEREIRA; GROTAN, VIDAR; PRADO, PAULO INACIO; VIDAL, EDSON; FERREIRA BATISTA, JOAO LUIS. Tropical forest management altered abundances of individual tree species but not diversity. FOREST ECOLOGY AND MANAGEMENT, v. 475, NOV 1 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.