Busca avançada
Ano de início
Entree

A dinâmica da conectividade funcional em pacientes com neuronopatia sensorial: abordagem Bayesiana para caracterizar os circuitos neurais afetados

Processo: 16/00330-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Vigência (Início): 24 de abril de 2016
Vigência (Término): 23 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Marcondes Cavalcante Franca Junior
Beneficiário:Raphael Fernandes Casseb
Supervisor no Exterior: Bradley Goodyear
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Calgary, Canadá  
Vinculado à bolsa:14/15918-6 - Avaliação do padrão de ativação motora de pacientes com neuronopatias sensitivas utilizando fMRI e conectividade efetiva, BP.DD
Assunto(s):Imagem por ressonância magnética funcional   Neurociências

Resumo

A neuronopatia sensorial (NS) constitui um subgrupo de doenças do sistema nervoso periférico, cuja característica mais marcante é a degeneração primária dos gânglios da raiz dorsal. Pacientes com NS apresentam déficits sensoriais em várias partes do corpo, o que leva à perda da coordenação motora, embora as áreas motoras primárias do cérebro estejam preservadas.Os efeitos da NS no sistema nervoso central ainda não foram estudados em profundidade. As técnicas de análise de imagem empregadas até o presente só utilizaram imagens estruturais de ressonância magnética (IRM) para descrever alterações de volume em estruturas cerebrais e não cerebrais (como, por exemplo, a identificação de atrofia do cerebelo e dos gânglios da raiz dorsal). No entanto, até onde sabemos, imagens funcionais de ressonância magnética (IRMf) não foram utilizadas para se investigar mudanças da conectividade funcional (cf-IRMf) associadas à NS. Deve-se destacar que danos decorrentes de outras doenças neurológicas, como a doença de Parkinson (DP), já foram caraterizados utilizando-se a cf-IRMf. Neste contexto, acreditamos que estudo da NS pode ajudar ainda a elucidar mecanismos da integração sensório-motora, uma vez que a NS é uma enfermidade puramente sensorial com comprometimento motor, enquanto a DP é uma doença exclusivamente motora.Todavia, podemos apontar que uma limitação da técnica de cf-IRMf é a suposição de que as conexões funcionais sejam constantes ao longo do tempo. Nesse sentido, novas estratégias foram introduzidas há pouco tempo, como a análise de sliding window (janela deslizante, em tradução livre). Esta se baseia na análise de um pequeno fragmento do sinal (janela ou intervalo), e em seguida de um outro intervalo subsequente do sinal que também é analisado. Esta análise de partes sequencias do sinal, possibilita abordar a dinâmica da conectividade funcional. Como nós supomos que a NS afeta a série temporal do sinal BOLD, parece razoável adotar tal estratégia de investigação.Melhorias da técnica de sliding window foram propostas recentemente pelo professor dr. Bradley Goodyear da Universidade de Calgary, e meu objetivo é aplicar esse método modificado em dados que ajudarei a coletar de um grupo de pacientes com DP, já que as alterações de cf-IRMf estão bem descritas para esta doença. Então, a técnica será empregada nas IMRf que já coletei dos pacientes com NS, e isso poderá: (i) dar indícios sobre mecanismos de atuação da doença, (ii) resultar em parâmetros (biomarcadores) para auxiliar no diagnóstico e no prognóstico e (iii) revelar possíveis alvos neurais para serem submetidos à terapia com neuromodulação.