Busca avançada
Ano de início
Entree

Sinalização química via QseC e QseE em Citrobacter rodentium

Processo: 15/26132-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2016
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Pesquisador responsável:Cristiano Gallina Moreira
Beneficiário:Karine Melchior
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/06779-2 - Investigação do papel da sinalização química e de mecanismos auxiliares na virulência de Salmonella enterica sorovar Typhimurium e outros enteropatógenos, AP.JP
Assunto(s):Bacteriologia   Percepção de Quorum   Adesão celular   Transdução de sinais   Citrobacter rodentium   Epinefrina   Escherichia coli   Fatores de virulência   In vivo   Modelos animais

Resumo

Escherichia coli diarreiogênicas são patógenos humanos que causam doenças graves e em alguns casos podem evoluir ao óbito, dessa forma é muito estudado os mecanismos de patogenicidade destes microrganismos. Essas bactérias possuem em seu genoma a Ilha de patogenicidade locus of enterocyte effacement (LEE), responsável por codificar genes relacionados a fatores de virulência. Os sensores de histidina quinase QseC e QseE, regulam diretamente LEE, bem como os mecanismos de virulência desenvolvidos por esses patógenos e esses sensores respondem aos hormônios epinefrina (Epi) e noraepinefrina (NE) e ao auto indutor do tipo 3 (AI-3) secretado por bactérias. As E. coli diarreiogênicas são patógenos naturais de humanos que não possuem um modelo animal amplamente aceito na literatura, limitando os estudos in vivo dos sensores QseC e QseE. Citrobacter rodentium é um patógeno natural de murinos, que apresentam homologia de 67% de seus genes com esses patógenos humanos, incluindo LEE. Por essas características, C. rodentium se torna um modelo alternativo de estudos in vivo para amostras que possuem LEE. Para a melhor compreensão dos sensores QseC e QseE, será desenvolvido o estudo da sinalização química dos sensores em C. rodentium, para isso será realizada a construção dos mutantes ”qseC, ”qseE e ”qseC/”qseE, e posteriormente a caracterização fenotípica dos mutantes através dos ensaios de adesão celular, ensaio de motilidade, ensaio FAS para identificação da lesão attaching and effacing (A/E) e ensaio de sinalização química através de epinefrina ou noraepinefrina. A melhor compreensão desses sensores em C. rodentium poderá auxiliar nos estudos in vivo, para o desenvolvimento de novos fármacos e terapias para o tratamento de infecções bacterianas no futuro.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)