Busca avançada
Ano de início
Entree

Sinalização química via QseC e QseE em Citrobacter rodentium

Processo: 15/26132-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2016
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Pesquisador responsável:Cristiano Gallina Moreira
Beneficiário:Karine Melchior
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/06779-2 - Investigação do papel da sinalização química e de mecanismos auxiliares na virulência de Salmonella enterica sorovar Typhimurium e outros enteropatógenos, AP.JP
Assunto(s):Bacteriologia   Percepção de Quorum   Citrobacter rodentium   Virulência

Resumo

Escherichia coli diarreiogênicas são patógenos humanos que causam doenças graves e em alguns casos podem evoluir ao óbito, dessa forma é muito estudado os mecanismos de patogenicidade destes microrganismos. Essas bactérias possuem em seu genoma a Ilha de patogenicidade locus of enterocyte effacement (LEE), responsável por codificar genes relacionados a fatores de virulência. Os sensores de histidina quinase QseC e QseE, regulam diretamente LEE, bem como os mecanismos de virulência desenvolvidos por esses patógenos e esses sensores respondem aos hormônios epinefrina (Epi) e noraepinefrina (NE) e ao auto indutor do tipo 3 (AI-3) secretado por bactérias. As E. coli diarreiogênicas são patógenos naturais de humanos que não possuem um modelo animal amplamente aceito na literatura, limitando os estudos in vivo dos sensores QseC e QseE. Citrobacter rodentium é um patógeno natural de murinos, que apresentam homologia de 67% de seus genes com esses patógenos humanos, incluindo LEE. Por essas características, C. rodentium se torna um modelo alternativo de estudos in vivo para amostras que possuem LEE. Para a melhor compreensão dos sensores QseC e QseE, será desenvolvido o estudo da sinalização química dos sensores em C. rodentium, para isso será realizada a construção dos mutantes ”qseC, ”qseE e ”qseC/”qseE, e posteriormente a caracterização fenotípica dos mutantes através dos ensaios de adesão celular, ensaio de motilidade, ensaio FAS para identificação da lesão attaching and effacing (A/E) e ensaio de sinalização química através de epinefrina ou noraepinefrina. A melhor compreensão desses sensores em C. rodentium poderá auxiliar nos estudos in vivo, para o desenvolvimento de novos fármacos e terapias para o tratamento de infecções bacterianas no futuro.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.