Busca avançada
Ano de início
Entree

Ação do 2,3,7,8-tetraclorodibenzo-p-dioxina (TCDD) sobre a expressão de ABCG2 em células-tronco mesenquimais tecido adiposo humanas

Processo: 15/24800-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2016
Vigência (Término): 31 de março de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Flávia Karina Delella
Beneficiário:Samara Costa Tavares
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Biologia celular   Células-tronco mesenquimais   Tecido adiposo   Disruptores endócrinos   Adipogenia   Dioxinas   Terapia baseada em transplante de células e tecidos   Imuno-histoquímica   Western blotting

Resumo

Células-tronco adultas têm sido isoladas e caracterizadas a partir de diferentes tipos de tecidos como medula óssea, cordão umbilical, encéfalo, epitélios, polpa dentária e mais recentemente tecido adiposo. O tecido adiposo subcutâneo representa uma fonte acessível e abundante na obtenção de células-tronco mesenquimais (CTMs). Este tecido possui alta variedade celular, sendo composto principalmente por adipócitos maduros, pré-adipócitos, fibroblastos, células de músculo liso da fração vascular, células endoteliais, monócitos e macrófagos. A adipogênese caracteriza-se como um processo altamente complexo, desde os sinais moleculares orquestrados por genes até a interação células-célula e/ou célula-matriz extracelular, mecanismos importantes para a regulação do processo de diferenciação de adipócitos. Sinais hormonais e nutricionais, assim como disruptores endócrinos, podem afetar tanto positiva como negativamente essa diferenciação. Disruptores endócrinos químicos são compostos naturais ou sintéticos que possuem a capacidade de alterar funções intrínsecas, mimetizando ou bloqueando hormônios endógenos. O TCDD, composto bastante estudado atualmente, é um contaminante ambiental, considerado como de maior toxicidade para o homem, capaz de se ligar e ativar o receptor Aril hidrocarboneto (AhR). Tal ligação induz a proliferação, diferenciação e apoptose celular, embora os mecanismos da estimulação destes processos ainda não estejam completamente compreendidos. As CTMs do tecido adiposo são grandes candidatas ao seu uso em terapia celular principalmente por serem relativamente fáceis de coletar, isolar e caracterizar e por possuírem condição imunológica favorável, já que apresentam expressão de antígenos leucocitários humanos deficiente. Considerando-se a importância do uso de CTMs em estudos que investiguem questões relativas à ciência básica e à pesquisa clínica, bem como a aplicação clínica segura dessas células, torna-se importante a investigação dos possíveis efeitos do TCDD (disruptor endócrino de alta exposição ambiental) sobre a viabilidade celular e expressão da proteína de membrana ABCG2 nessas células. Para essa finalidade, serão empregadas as técnicas de viabilidade células, imunocitoquímica e western blotting.