Busca avançada
Ano de início
Entree

Doença periodontal em gestantes:repercussões gestacionais e no parto

Processo: 15/23313-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2016
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Cátia Regina Branco da Fonseca
Beneficiário:Stefanie Yaemi Takita
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Gravidez   Doenças periodontais   Pediatria   Parto

Resumo

As doenças periodontais afetam tanto o tecido de suporte (gengiva) quanto os de sustentação (cemento, ligamento periodontal e osso). São induzidas pela alteração da microbiota bucal, levando à ativação de resposta imunológica e inflamatória. Os hormônios estrógeno e progesterona possuem receptores no tecido gengival. Segundo Cunha (2011), durante a gestação, a mulher é exposta a altas concentrações de hormônios esteróides produzidos pela placenta. Esses hormônios se acumulam no tecido e no fluido gengival, constituindo importantes fatores de crescimento de bactérias prejudiciais à saúde bucal da mulher. Nas doenças periodontais, esses microrganismos responsáveis pelo estímulo da resposta imunoinflamatória levam a aumento de citocinas e mediadores farmacologicamente ativos, dentre os quais se podem ressaltar interleucina 1-beta, IL-6, fator de necrose tumoral - alfa e prostaglandina E2 (Cunha, 2011). Sabe-se que tanto essas citocinas quanto os agentes infectante podem se disseminar de forma sistêmica pela corrente sanguínea, uma vez que não permanecem locadas no tecido gengival. Baseando-se nessa disseminação, sugere-se associação entre afecção e aumento do risco de alterações sistêmicas maternas (Passini Junior, et al. 2007), incluindo trabalho de parto prematuro em gestantes gerando assim nascimento de RN com baixo peso. Estudos ainda inconclusivos associam doenças periodontais e aumento no risco de doenças gestacionais como a pré-eclâmpsia.Diante esse cenário, propõe-se este estudo, objetivando estudar a relação entre doença periodontal materna e complicações gestacionais e no momento do parto como a pré-eclâmpsia entre outras.Método: A partir de um diagnóstico de doença bucal já realizado em 142 gestantes de Botucatu, com distribuição amostral de todas as Unidades de Saúde, pretende-se levantar dados secundários de prontuários do Hospital das Clínicas de Botucatu, bem como das Declarações de Nascidos Vivos, através do SINASC, e obter dados das condições de gestacionais e do momento do parto destas gestantes.O Banco de Dados será digitado diretamente em planilha elaborada no Programa Excel 2007.Para as variáveis quantitativas será realizado o teste t de Student. Para as variáveis qualitativas, será utilizado o teste do qui-quadrado. Será também realizada a regressão logística para estudar a associação entre as alterações encontradas e as variáveis de interesse no estudo. O nível de significância utilizado será de 5%. A análise multivariada através da Regressão Logística será realizada afim de avaliar a correlação entre doença periodontal e outras variáveis dependentes. O calculo do Odds Ratio utilizará intervalo de confiança de 95%.O programa computacional a ser utilizado será o Statistical Analysis System (SAS) versão 9.2. Os resultados serão apresentados em forma de tabelas e gráficos.O projeto foi encaminhado para avaliação e aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa e foi aprovado em Setembro/2015, desta forma a o levantamento dos números dos prontuários das gestantes e de seus recém-nascidos, para posterior levantamento dos registros de dados teve início no mês de Outubro de 2015. Espera-se obter dados que possam correlacionar ou não as doenças periodontais a problemas gestacionais e no momento do parto.