Busca avançada
Ano de início
Entree

Cicatrização de feridas em camundongos fat-1: envolvimento da via anti-inflamatória colinérgica

Processo: 16/02021-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2016
Vigência (Término): 30 de novembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Hosana Gomes Rodrigues
Beneficiário:Thamiris Candreva Robles
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/06810-4 - Mecanismos de ação dos ácidos graxos ômega-3 e ômega-6 no processo de reparo tecidual: enfoque neuro-imunológico, AP.JP
Bolsa(s) vinculada(s):16/23298-3 - Análise da composição da fração lipídica fosfatidilcolina em animais fat-1 no contexto da cicatrização de feridas, BE.EP.MS
Assunto(s):Ácidos graxos   Cicatrização   Citocinas   Fisiologia da pele   Acetilcolina

Resumo

A inflamação é um processo essencial na restauração da homeostasia local e regeneração tecidual. Em estudos anteriores, observamos que animais FAT-1, os quais produzem endogenamente ácidos graxos n-3 como o EPA (ácido eicosapentaenoico) e o DHA (ácido docosahexaenóico) principalmente, apresentam atraso no processo de cicatrização. Estes animais apresentam maior atividade da enzima mieloperoxidase (MPO), um marcador indireto da migração de células inflamatórias. Ao mesmo tempo, em cultura primária de macrófagos isolados do peritônio destes animais, a produção de quimiocinas pró-inflamatórias como a quimiocina derivada de queratinócitos (KC) e a produção de espécies reativas de oxigênio (EROs), estiveram aumentadas. Observamos também, redução nas concentrações de interleucina 10 (IL-10), uma citocina anti-inflamatória. Deste modo, acreditamos que os animais FAT-1 estão tendo um comportamento pró-inflamatório. Entretanto, até o momento, não sabemos quais vias podem estar modificadas nestes animais. Atualmente, tem sido descrito que o sistema nervoso central (SNC) interage com o sistema imune (SI) através do nervo vago, o qual libera acetilcolina que irá agir, via receptor alpha-7 nicotínico, em células como macrófagos, inibindo a produção de mediadores inflamatórios controlando assim, a inflamação. Considerando que o processo de cicatrização está prejudicado nos animais FAT-1, pretendemos neste projeto, investigar se esta resposta envolve a via anti-inflamatória colinérgica. Para tanto, iremos avaliar a resposta inflamatória local na presença/ausência de acetilcolina em animais controle e FAT-1. Utilizaremos agonista (PNU) e antagonista (MLA) do receptor ±-7 nicotínico (alpha-7nAChR), para evidenciar a essencialidade desta via para o processo de cicatrização. Utilizaremos as técnicas de citometria de fluxo para avaliar a resposta inflamatória (ensaios de CBA) e imunofenotipagem, para acompanhar o processo de migração celular durante as diferentes fases do processo de cicatrização; Western Blotting para analisar o estado de fosforilação das proteínas da via (JAK-2 e STAT-3), bem como colorimetria para quantificar a atividade das enzimas de síntese (colina acetiltransferase) e degradação (acetilcolinesterase) de acetilcolina, principal neurotransmissor da via colinérgica. A análise da expressão gênica será realizada por PCR array específico para cicatrização de feridas, onde avaliaremos genes diretamente relacionados aos processos de migração, produção de mediadores inflamatórios, formação da matriz extracelular e remodelamento.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.