Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do exercício físico, aeróbio ou resistido, sobre a musculatura esquelética de ratos com infarto do miocárdio

Processo: 14/23592-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2016
Vigência (Término): 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Marina Politi Okoshi
Beneficiário:Mariana Janini Gomes
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):16/15586-9 - NOX2 e proteínas de reparo de membrana na atrofia muscular induzida por alívio da carga, BE.EP.DR
Assunto(s):Infarto do miocárdio   Músculo esquelético   Exercício físico   Sistema musculoesquelético

Resumo

Alterações da musculatura esquelética associadas à insuficiência cardíaca (IC) são causadas, pelo menos parcialmente, por estresse oxidativo e desequilíbrio entre processos anabólicos e catabólicos. Vários efeitos benéfícos decorrentes do exercício aeróbio foram descritos na IC. Entretanto, apesar de mais recentemente ter sido observado que a prática de exercícios resistidos também resulta em benefícios, os mecanismos envolvidos em seus efeitos ainda não estão completamente esclarecidos. Esse tipo de exercício modula o trofismo por meio de ativação de células satélites. Não identificamos estudos avaliando os efeitos do exercício resistido sobre músculos esqueléticos de ratos com remodelação cardíaca e IC. O objetivo deste trabalho é comparar os efeitos de dois tipos de exercício, aeróbio e resistido, iniciados durante a fase de remodelação cardíaca compensada, sobre alterações fenotípicas e moleculares que ocorrem na musculatura durante IC crônica induzida por infarto do miocárdio (IM). Três meses após indução de IM, ratos Wistar serão divididos nos grupos Sham; IM sedentário; IM submetido a exercício aeróbio; e IM submetido a exercício resistido. Os ratos serão treinados três vezes por semana, por três meses, em protocolos de exercício aeróbio em esteira ou exercício resistido em escada. Ecocardiograma será realizado antes e após o treinamento. A porcentagem de área infartada e o trofismo muscular serão avaliados por morfometria. A expressão de proteínas das vias das MAPKs, NF-kappaB e ubiquitina-proteassoma, do TNF-alfa e do Pax-7 será analisada por Western-blot. Geração total de EROs será quantificada por produtos derivados da oxidação do dihidroetídio por HPLC. O metabolismo energético e a atividade das enzimas antioxidantes catalase, superóxido dismutase e glutationa peroxidase serão avaliados por espectrofotometria. Ativação de células satélite será determinada por imunofluorescência e por citometria de fluxo e a concentração sérica de TNF-alfa por ELISA. Análise estatística: ANOVA

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MARIANA JANINI GOMES; LUANA URBANO PAGAN; MARINA POLITI OKOSHI. Non-Pharmacological Treatment of Cardiovascular Disease | Importance of Physical Exercise. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 113, n. 1, p. 9-10, Jul. 2019.
GOMES, MARIANA JANINI; MARTINEZ, PAULA FELIPPE; PAGAN, LUANA URBANO; DAMATTO, RICARDO LUIZ; MARIANO CEZAR, MARCELO DIACARDIA; RUIZ LIMA, ALINE REGINA; OKOSHI, KATASHI; OKOSHI, MARINA POLITI. Skeletal muscle aging: influence of oxidative stress and physical exercise. ONCOTARGET, v. 8, n. 12, p. 20428-20440, 2017. Citações Web of Science: 35.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.