Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da estimulação transcraniana por corrente direta - tDCS sobre a pressão arterial central em hipertensos resistentes

Processo: 16/02317-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2016
Vigência (Término): 31 de outubro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Heitor Moreno Junior
Beneficiário:Alessandra Mileni Versuti Ritter
Supervisor no Exterior: Felipe Fregni
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Harvard University, Boston, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:14/03285-9 - Obesidade e lesões de órgãos-alvo na hipertensão resistente: papel das metaloproteinases, BP.PD

Resumo

A hipertensão arterial resistente (HAR) é definida como a pressão arterial (PA) que se mantém acima das metas recomendadas (e140/90mmHg), apesar do uso concomitante de 3 ou mais fármacos anti-hipertensivos de diferentes classes em doses otimizadas. A fisiopatologia da HAR é multifatorial, sendo a hiperativação do sistema nervoso simpático (SNS) considerada uma das principais causas. Terapias invasivas têm sido desenvolvidas para o tratamento da HAR, porém a hiperativação SNS ainda permanece como um desafio. A possibilidade de se utilizar técnicas de estimulação cerebral, tais como a estimulação transcraniana por corrente direta (tDCS) não invasiva no córtex cerebral em HAR parece promissora para reduzir a PA. O presente projeto visa fornecer conhecimento para manipulação e implantação da nova técnica de neuroestimulação no Brasil com o aparelho DC Stimulation Plus modo SHAM (neuroConn GmbH, Germany), recentemente adquirido via CEPID FAPESP (2013/07607-8). Além de verificar se a estimulação cranial é capaz de reduzir a pressão arterial central em pacientes com HAR. Para isso, um estudo cruzado, duplo-cego, placebo-sham será conduzido em 10 pacientes HAR. Estes receberão neuroestimulação craniana durante 2 semanas e a pressão arterial central será verificada pelo equipamento Sphygmocor nos períodos pré- e pós-tDCS. Nossa hipótese é que a redução dos níveis de PA em HAR seja decorrente da modulação do tônus simpático. A aprendizagem da técnica de tDCS no laboratório de neuroestimulação do prof. Dr. Felipe Fregni na Instituição Harvard Medical School trará subsídios científicos para implementação da técnica de tDCS em nosso laboratório no Brasil, possibilitando uma nova conduta terapêutica nos pacientes com HAR.