Busca avançada
Ano de início
Entree

Escritos sobre as cadeias no Brasil Colonial (séculos XVII-XIX)

Processo: 15/17512-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2016
Vigência (Término): 31 de maio de 2017
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Milena da Silveira Pereira
Beneficiário:Nayara Vignol Lucheti
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Franca. Franca , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/14786-6 - Escritos sobre os novos mundos: uma história da construção de valores morais em Língua Portuguesa, AP.TEM
Assunto(s):Justiça   Preso   Punição   Prisões

Resumo

Durante os anos coloniais, as cadeias do Brasil estabeleceram-se na sede de administração e justiça, dividindo prédio com o senado na dita Casa de Câmara e Cadeia e ocupando lugar de honra nas cidades. Do processo de intensificação da urbanização, em meados do século XVII, até o início do século XIX, quando passa-se a construir as prisões em separado da municipalidade, os cárceres públicos foram constantemente clamados como forma de trazer tranquilidade às vilas e cidades. Assim, partiremos do preceito de que no dito recorte temporal e em distintos pontos das novas posses lusitanas compartilhavam-se do mesmo pacto acerca da aplicação da justiça, no qual o aprisionamento não era forma usual de punição, mas não deixava de ser citado como primordial para a manutenção da ordem social. Para interrogar sobre as prisões públicas, usaremos, principalmente, das correspondências expedidas pelos funcionários das câmaras, da Relação e das instituições filantrópicas durante o período em questão, buscando entender o que se relatou a respeito da prática do encarceramento dos delituosos durante um momento em que esta não era colocada como modelo penal por excelência por aqueles que tratavam habitualmente com a criminalidade. Discorreremos também sobre como a administração da justiça e da burocracia nestas terras influíram no que foi escrito acerca do cotidiano do cárcere. Tais questionamentos se encaminham no sentido de apreender a situação do aprisionamento e o seu papel na manutenção da ordem na colônia, articulando aquilo produzido pelas autoridades da época sobre a vivência dos e nos cárceres com a sociedade brasílica. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
LUCHETI, Nayara Vignol. Escritos sobre as cadeias do Brasil colonial : Rio de Janeiro e Salvador dos séculos XVII ao XIX. 2017. 137 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciências Humanas e Sociais..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.