Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação agronômica de variedades de videira destinadas à elaboração de vinhos brancos na região leste de são paulo.

Processo: 16/03870-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2016
Vigência (Término): 30 de abril de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Mara Fernandes Moura
Beneficiário:Juliana Rocha de Souza
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/22824-8 - Avaliação agronômica de variedades de videira destinadas à elaboração de vinhos brancos em duas regiões de São Paulo, AP.R
Assunto(s):Porta-enxertos   Variedades   Viticultura

Resumo

O projeto objetiva avaliar o desempenho agronômico de cinco variedades de uvas brancas destinadas à vinificação, enxertados sobre dois porta-enxertos, na região leste do estado de São Paulo. Serão realizados dois experimentos na área experimental do Centro APTA de Frutas/SP. Os tratamentos serão constituídos pela combinação das variedades 'SR 0.501-17', 'Moscato Embrapa', 'Moscatel de Jundiaí', 'BRS Lorena' e 'Madalena' enxertadas sobre os porta-enxertos IAC 766 'Campinas' e IAC 572 'Jales'. O delineamento experimental utilizado será em blocos ao acaso com cinco repetições. Serão avaliadas, em dois ciclos para cada variedade as variáveis: produtividade em kg planta-1, massa fresca dos ramos, número de cachos por planta, estádios fenológicos, características físicas de cachos e bagas e características químicas do mosto de cada variedade de uva enxertada sobre os dois porta-enxertos. Realizar-se-á a microvinificação das variedades em um ciclo, bem como análises químicas e bioquímicas dos mostos e dos vinhos produzidos. Com os dados obtidos, serão realizadas análises de variâncias individuais para cada variedade por ciclo e as diferenças entre as médias dos tratamentos serão verificadas pelo teste Tukey ao nível de 5% de probabilidade.