Busca avançada
Ano de início
Entree

Plasticidade tecidual da junção miotendínea do sóleo de Ratas Wistar idosas ovariectomizadas submetidas à natação

Processo: 15/21720-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2016
Vigência (Término): 31 de março de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Anatomia
Pesquisador responsável:Adriano Polican Ciena
Beneficiário:Luan Rissatto Sierra
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro, SP, Brasil
Assunto(s):Envelhecimento   Músculo esquelético   Ovariectomia   Sistema musculoesquelético   Histologia   Exercício físico

Resumo

O processo fisiológico do envelhecimento acarreta em diversas alterações aos sistemas corporais onde a sarcopenia resultante da atrofia muscular associado à menopausa, desencadeia diversas alterações morfológicas na área de interação músculo-tendão denominada de junção miotendínea. O exercício físico poderá acarretar em benefícios na estrutura da junção miotendínea associadas com um grande aumento em sua área de contato. O objetivo do presente estudo consiste em analisar a plasticidade tecidual através da análise morfológica da junção miotendínea do sóleo em ratas Wistar idosas ovariectomizadas submetidas ao treinamento de natação. Serão utilizadas 40 ratas com 1 ano e 2 meses de idade divididas aleatoriamente em quatro Grupos, (n=10): Grupo Sedentário; Grupo Treinadas; Grupo Sedentário/Ovariectomizadas e Grupo Treinadas/Ovariectomizadas. Os animais serão oriundos do Biotério Central da UNESP - Campus de Botucatu-SP. O protocolo de treinamento consistirá em 40 sessões, durante uma hora diária, por um período de oito semanas e sobrecarga de 5% da massa corporal dos animais, com mensuração semanal para realização de ajustes. As imagens histológicas obtidas serão analisadas através da microscopia de luz, microscopia eletrônica de varredura e microscopia eletrônica de transmissão, de maneira a evidenciar características morfométricas, aspectos tridimensionais dos elementos estruturais e ultraestruturais dos componentes ao nível celular.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.