Busca avançada
Ano de início
Entree

Busca de inibidores enzimáticos de catepsinas em extratos de fungos associados aos jardins de formigas cortadeiras

Processo: 16/00547-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2016
Vigência (Término): 30 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Paulo Cézar Vieira
Beneficiário:Priscila Lopes Lima
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Produtos naturais   Agentes de controle biológico   Inibidores enzimáticos   Catepsinas   Fungos   Formigas cortadeiras   Fatores de virulência   Espectroscopia

Resumo

Os micro-organismos associados às formigas cortadeiras compreendem uma rica fonte de substâncias antifúngicas e de agentes de controle biológico em virtude das redes microbianas em que estão inseridos. O jardim de fungos das formigas cortadeiras caracteriza-se como uma complexa rede microbiana em que participam, pelo menos, um fungo mutualista (Leucoagaricus gongylophorus), um parasita especializado (Escovopsis), actinomicetos simbiontes (Pseudonocardia e Streptomyces) e outros micro-organismos com função ecológica ainda desconhecida. Devido aos mediadores químicos utilizados nesta rede para estabelecer os fatores de virulência ou de defesa, micro-organismos pertencentes ao jardim de fungos de formigas cortadeiras são potenciais produtores de substâncias antimicrobianas. Os fungos pertencentes ao gênero Escovopsis são parasitas especializados capazes de destruir os jardins de fungos causando a completa morte do ninho. Estudos realizados mostraram que Escovopsis secreta substâncias antifúngicas que destroem o micélio de L. gongylophorus. Assim, este gênero fúngico representa um importante produtor de antifúngicos e agentes de controle biológico de formigas cortadeiras. A fim de proteger o jardim de fungos contra a virulência de Escovopsis, micro-organismos simbiontes, especialmente espécies de Pseudonocardia, produzem compostos com atividade antifúngica. No entanto, a base deste sinergismo/antagonismo ainda permanece desconhecida. Apesar das observações ambientais e científicas, não foram realizados estudos no sentido de elucidar os mediadores bioativos que estão sendo produzidos por Escovopsis. Assim, este plano de trabalho de iniciação científica visa progredir nos estudos químico e quimio-ecológico do micro-organismos E. weberi, associado aos jardins de fungos de formigas cortadeiras. Estudos metabolômicos, de espectroscopia, antifúngicos e enzimáticos devem ser realizados para complementar a formação da aluna Priscila Lopes.