Busca avançada
Ano de início
Entree

A realidade sensível da natureza nos espaços irresolutos da cidade

Processo: 15/24340-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2016
Vigência (Término): 30 de novembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Paisagismo
Pesquisador responsável:Vladimir Bartalini
Beneficiário:Arthur Simões Caetano Cabral
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil

Resumo

O presente projeto de pesquisa propõe a investigação das manifestações da natureza, por ínfimas que sejam, em ambientes fortemente artificializados. Focará os espaços residuais do tecido urbano em seus vários contextos e escalas: desde fissuras quase imperceptíveis, povoadas espontaneamente por vegetações ruderais, até extensos terrenos ociosos ou remanescentes de intervenções no viário ou de canalização de córregos. Uma vez deixados ao acaso, tais espaços se apresentam em um estado de abandono que proporciona o vicejar não só de uma grande diversidade de espécies vegetais, como também de usos, apreciações e emersões de conteúdos do imaginário. Em outros termos, eles ensejam o devir de paisagens onde isto parece ser mais improvável. A investigação apoia-se no pressuposto de que as paisagens, para se instaurarem, requerem a abertura de um horizonte, real ou metafórico, que as situações a serem abordadas parecem favorecer. Seu objetivo geral é, assim, o de sondar o potencial paisagístico de espaços esquecidos, onde a natureza se expressa de modo oblíquo, mas insistente. O campo empírico corresponde às áreas de topografia movimentada e urbanização relativamente recente situadas entre o vale do Tietê e a Serra da Cantareira, no município de São Paulo. Tal investigação demanda um embasamento teórico que será buscado, de partida, no Manifesto da Terceira Paisagem, de Gilles Clément, e alimentado pela bibliografia referente à paisagem e à imaginação poética. São imprescindíveis, também, referências à sua histórica rejeição, o que justifica remontar aos primeiros registros das tentativas de repressão às manifestações espontâneas da natureza no meio urbano paulistano. Espera-se que a sistematização dos resultados venha a contribuir para os modos de projetar, intervir, gerir e usufruir a paisagem no espaço público.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
CABRAL, Arthur Simões Caetano. A realidade sensível da natureza nos espaços irresolutos de São Paulo. 2017. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.