Busca avançada
Ano de início
Entree

Theodor Adorno e a construção do modernismo artístico

Processo: 16/00472-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2016
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - História da Filosofia
Pesquisador responsável:Marcos Severino Nobre
Beneficiário:Raquel Patriota da Silva
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/01504-6 - Modernismo e Arte Moderna na obra tardia de Adorno, BE.EP.DR
Assunto(s):Modernidade   Teoria crítica   Estética (filosofia)   Modernismo

Resumo

Nosso estudo pretende mapear transformações na noção de "arte moderna" ao longo dos escritos estéticos de Theodor W. Adorno. Nossa hipótese é a de que houve uma mudança de orientação por parte do filósofo quanto à concepção de modernismo artístico: nos textos de um primeiro período - consideraremos aqueles elaborados entre a década de 1930 e o início da década de 1950 - o filósofo defende como moderna a arte "mais avançada" no que diz respeito ao domínio técnico dos materiais, capaz de expressar através de sua estrutura formal contradições sociais; já a partir da metade dos anos 50 - adotamos o texto "O envelhecimento da nova Música" como marco inicial do período - Adorno teria observado que seus pressupostos teóricos entraram em descompasso com as tendências artísticas mais recentes, principalmente em virtude da expansão dos meios artísticos e do experimentalismo ligado às vanguardas. Na primeira ideia de modernismo artístico, o paradigma seria o dodecafonismo de Schoenberg e os escritos de Kafka. No segundo modelo, Adorno reconhece o "envelhecimento" da nova música e analisa as consequências do serialismo integral desenvolvido pela Escola de Darmstadt a partir dos anos 50, além de mensurar o desdobramento de uma crise no próprio sentido de arte, expressa pela obra literária de Samuel Beckett. O estudo dessas mudanças no pensamento do filósofo deve contribuir com a elucidação das configurações históricas que moldaram sua estética. (AU)