Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação dos efeitos da suplementação da dieta com Cranberry na nefrolitíase induzida em ratos

Processo: 15/26946-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de abril de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Paulo Roberto Kawano
Beneficiário:Matheus Augusto Callegari
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/10006-1 - Avaliação dos efeitos da suplementação da dieta com Cranberry na nefrolitíase induzida em ratos, AP.R
Assunto(s):Urologia   Ratos   Nefrolitíase   Suplementação alimentar   Cranberry

Resumo

A prevalência da litíase urinária (LTU) tem aumentado no mundo inteiro, com taxas de recorrência da ordem de 50%, após 10 anos. Sabe-se que a urina é influenciada pelos fluidos ingeridos, os quais podem alterar a composição física química da urina e, a formação de novos cálculos. Embora o suco de cranberry seja conhecido como benéfico na prevenção das infecções do trato urinário, o seu papel na prevenção da LTU permanece ainda controverso. O objetivo do presente trabalho será avaliar as repercussões metabólicas e histológicas da suplementação da dieta com cranberry sobre a LTU, à partir da hiperoxalúria em um modelo experimental em ratos. Serão avaliados 40 ratos machos da raça Sprague-Dawley, randomicamente distribuídos em três grupos: G1 (n=10) controle clínico - sem intervenção; G2 (n=15) indução de hiperoxalúria a partir da administração de Etileno Glicol a 0,5% diluído na água, associado a 0,5µM de Vitamina D via gavagem uma vez ao dia; e G3 (n=15) indução de hiperoxalúria associado à administração de 800mg/kg peso do animal de cranberry diluído em água, via gavagem, uma vez ao dia. Após 28 dias de indução, os animais serão eutanasiados para realização dos estudos metabólicos com dosagens de cálcio, oxalato, ácido úrico, e citrato na urina de 24 horas, e creatinina sérica. O parênquima renal será submetido à análise histológica e histomorfométrica utilizando-se o programa Image J®, bem como determinação da atividade das enzimas antioxidantes para avaliação do estresse oxidativo. A quantificação do cálcio depositado no parênquima renal será realizada por espectrofotometria atômica pela técnica PIXE (Proton Induced X-Ray).