Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de nanodispersões lipídicas contendo insulina para tratamento tópico da Doença do Olho Seco

Processo: 15/04008-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2016
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Pesquisador responsável:Renata Fonseca Vianna Lopez
Beneficiário:Francieli Pereira
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Síndromes do olho seco   Sistemas de liberação de medicamentos   Nanopartículas lipídicas sólidas   Insulina

Resumo

A doença do olho seco é uma desordem multifatorial que atinge tanto o filme lacrimal quanto a superfície ocular, estando associada a diversas causas como doenças autoimunes, deficiências hormonais e envelhecimento. Sabe-se que a fisiopatologia da doença está relacionada à instalação de um processo inflamatório nas estruturas oculares, que leva a sintomas como desconforto, irritação, visão embaçada, dor ocular, impactando de forma significativa a qualidade de vida de seus portadores. O tratamento convencional ainda consiste na aplicação de colírios lubrificantes, tratando-se, entretanto, de uma terapia sintomática e de baixa eficácia, o que justifica a necessidade de alternativas medicamentosas com eficácia e relevância clínica. Estudos recentes indicaram que a administração de insulina melhora a cicatrização de feridas de córnea e parece restabelecer o filme lacrimal em ratos diabéticos. A insulina é, no entanto, uma macromolécula rapidamente metabolizada e degradada pelas enzimas presentes na superfície ocular. Para superar os problemas relacionados à sua biodisponibilidade e propiciar uma administração tópica conveniente ao paciente em termos de conforto e posologia é necessário o desenvolvimento de sistemas de liberação adequados para a via ocular. O sistema de liberação deve ter baixa toxicidade, ser capaz de aumentar o tempo de retenção do fármaco na superfície ocular e, se possível, evitar a evaporação do filme lacrimal que venha a ser restaurado com o tratamento. Sendo assim, o objetivo do presente trabalho é desenvolver nanodispersões lipídicas contendo insulina para uso tópico no tratamento da doença do olho seco. Para tanto, as formulações desenvolvidas serão caracterizadas quanto ao tamanho, morfologia e potencial Zeta, utilizando técnicas de Microscopia de Transmissão Eletrônica (TEM), Microscopia de Força Atômica (AFM), Calorimetria Diferencial de Varredura (DSC), Difração de Raio- X. A integridade das moléculas de insulina nas nanodispersões desenvolvidas será avaliada por imunoensaio e por Dicroísmo Circular. As formulações serão testadas em cultura de células epiteliais da córnea e de células acinares de glândulas lacrimais quanto à citotoxidade e viabilidade celular, doseamento de citocinas pró-inflamatórias (IL-1², IL-6, TNF-±), óxido nítrico (NO) e metaloproteinases de matriz extracelular (MMP-9), a fim de avaliar sua influência na expressão desses mediadores celulares. Estudos in vitro e ex vivo serão conduzidos para verificar o perfil de liberação, penetração e retenção da insulina, tanto em membranas quanto em córneas. (AU)