Busca avançada
Ano de início
Entree

Argumentação, textualidade e designação na Semântica do Acontecimento: os sentidos nos diferentes modos de escravidão

Processo: 16/04979-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de abril de 2016
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Teoria e Análise Lingüística
Pesquisador responsável:Soeli Maria Schreiber da Silva
Beneficiário:Thamila Parciasepe Mascarin
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/16397-2 - Argumentação, textualidade e designação na Semântica do Acontecimento: os sentidos nos diferentes modos de escravidão, AP.R
Assunto(s):Enunciação   Sentido   Escravidão   Argumentação

Resumo

No presente projeto, da Unidade de Pesquisa em Estudos Históricos, Políticos e Sociais da Linguagem (UEHPOSOL), vimos propor examinar os diferentes modos de escravidão. Vamos tratar desse tema focando a multiplicidade de sentidos a partir das designações de escravidão, de forma a percorrer os diferentes lugares e modalidades. E nesse sentido gostaríamos de esclarecer que não trataremos somente da escravidão como cristalizada pelo processo de colonização brasileira, ou seja, a escravidão dos negros que culminou com a abolição em 1888. Partimos das seguintes questões: será que a escravidão acabou após a abolição? Será que a escravidão só se dá nas relações entre negros e brancos? Que modos de escravidão observamos nos dias de hoje? Que efeitos de sentido as relações escravocratas deixaram numa sociedade como São Carlos, por exemplo, uma região rodeada de fazendas? Temos como propósito refletir sobre os laços (Halliday e Hasan,1975 apud Guimarães, 2011) que unem palavras, enunciados, de forma a produzir a unidade textual no acontecimento de enunciação e assim compreender a textualidade por um olhar semântico-enunciativo. Adotaremos os procedimentos de textualidade como propostos pela teoria da Semântica do Acontecimento (Guimarães, 2002, 2007, 2011) e vamos estudar a argumentação na cena enunciativa. Além disso, a semântica é pensada na relação com a sintaxe (Dias, 2009, 2012, 2015). Vamos examinar as enunciações na relação com a história, a maneira como os textos organizam os sentidos pela relação entre as palavras e a orientação argumentativa. Então a argumentação será pensada no agenciamento enunciativo. Desse modo, serão analisados os sentidos relacionados à escravidão observando-se a relação dos sujeitos com as tecnologias, com a moda, com a estética do corpo, com o preconceito, com o jurídico, com a bíblia etc. O projeto é coordenado pela Profa. Dra. Soeli Maria Schreiber da Silva, em parceria com a Profa. Dra. Carolina de Paula Machado. Participam do projeto alunos da graduação e pós-graduação.