Busca avançada
Ano de início
Entree

Ativação e regulação de células b e de vias metabólicas no transplante experimental de órgãos

Processo: 15/26620-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2016
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Niels Olsen Saraiva Câmara
Beneficiário:Thiago Maass Steiner
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/02270-2 - Novos mecanismos celulares, moleculares e imunológicos das lesões renais agudas e crônicas: busca por novas estratégias terapêuticas, AP.TEM
Assunto(s):Linfócitos B   Nefrologia   Transplante de órgãos   Metabolismo celular

Resumo

Transplantes aumentam a sobrevida e a qualidade de vida de pacientes crônicos em estadios terminais. Entretanto, apesar dos avanços nas técnicas cirúrgicas e das novas drogas imunossupressoras, um número significativo de pacientes aindacursam com rejeição aguda, que é fator de risco para a perda do enxerto. A perda do enxerto acarreta em dificuldade em conseguir ser transplantado novamente, pois o paciente acaba sensibilizado e desenvolve anticorpos específicos contra o doador, que é contraindicação para a realização de um novo transplante. Portanto, vias mais específicas e novas estratégias que possam aumentar a aceitação do enxerto necessitam ser estudadas. As células B apresentam um papel crucial no processo de rejeição, seja por meio da apresentação antigênica ou via produção de aloanticorpos, mas também podem estar envolvidas no processo de tolerância do enxerto, nos casos das células B reguladoras, as Bregs. Recentemente, têm se verificado que o metabolismo celular é de suma importância para a sobrevivência e ativação de células do sistema imune, como sensores metabólicos e orquestradores destas funções. Entretanto, se sabe muito pouco acerca do papel das vias metabólicas e dos sensores metabólicos, tais como AMPK e mTOR no processo de ativação e função dos linfócitos B, e menos ainda da repercussão dessas vias no transplante de órgãos. Este projeto objetiva melhor compreender a influência de vias metabólicas de células B e de seus sensores durante um modelo experimental de transplante pele, assim como estas podem vir a interferir no processo de rejeição de aloenxertos.Assim, temos como hipótese central que as vias metabólicas, AMPK e mTOR, são cruciais na ativação de linfócitos B durante o processo de rejeição ao enxerto. Nós utilizaremos ferramentas de biologia celular e molecular para dissecar a participação das vias metabólicas na ativação de linfócitos B, bem como comparar o metabolismo dos diferentes tipos de linfócitos B. Nós também avaliaremos a participação das moléculas mTOR e AMPK na ativação e diferenciação dos linfócitos B em um modelo de transplante de pele. Nós acreditamos que este projeto contribuirá para o entendimento do papel do metabolismo celular na ativação de células do sistema imune e, no futuro, poderá contribuir para o desenvolvimento de novos alvos e estratégias terapêuticas para tratamento de rejeição dos transplantes e outros processos inflamatórios.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
STEINER, Thiago Maass. Papel da proteína alvo da Rapamicina (mTOR) nas vias metabólicas e funções efetoras de células B.. 2018. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Ciências Biomédicas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.