Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de anticorpos anti-DEC205 fusionados a proteínas dos vírus Chikungunya e Zika para o direcionamento de antígenos in vivo

Processo: 16/03965-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2016
Vigência (Término): 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Daniela Santoro Rosa
Beneficiário:Fernanda Caroline Coirada Oliveira
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Vacinas   Vírus Chikungunya   Vírus Zika   Anticorpos monoclonais   Células dendríticas

Resumo

As infeções pelos vírus Chikungunya (CHIKV) e Zika (ZIKV) constituem atualmente um problema de saúde pública mundial e até o momento, não existem vacinas profiláticas disponíveis. Além disso, o fato de não existirem medicações específicas para essas infecções e o fato de serem transmitidas pelo mesmo vetor dificultam o controle. Nos últimos anos, diversas plataformas de produção de imunógenos têm sido exploradas com a finalidade de produzir uma vacina capaz de prevenir a infecção pelo CHIKV. O principal desafio é encontrar o equilíbrio entre a imunogenicidade e a segurança da formulação vacinal. Em relação ao ZIKV, até o momento nenhum antígeno candidato foi avaliado como imunógeno. As glicoproteínas do envelope do CHIKV e ZIKV são as mais abundantes na superfície dos vírions e estão envolvidas no processo de ligação e fusão com a membrana da célula alvo. Por essas características, são alvos importantes dos anticorpos e podem ser consideradas importantes antígenos a serem utilizados como vacinas. O conhecimento da biologia das células dendríticas (DCs) tem permitido o desenvolvimento de estratégias vacinais baseadas na capacidade destas células de modular as respostas imunes humoral e celular. A partir de estudos anteriores, verificou-se a possibilidade de direcionar proteínas diretamente para DCs através de receptores endocíticos expressos na superfície dessas células, como o DEC205. A utilização de anticorpos monoclonais (mAbs) quiméricos a-DEC205 acoplados ao antígeno de interesse levam a uma melhor apresentação dos antígenos. No presente projeto pretendemos produzir mAbs quiméricos ±DEC205 fusionados às proteínas do envelope viral E1 e E2 do CHIKV e E do ZIKV, e avaliá-los quanto a sua imunogenicidade em camundongos avaliando a indução de resposta imune humoral e celular específica. (AU)