Busca avançada
Ano de início
Entree

Genômica comparativa e funcional no estudo evolutivo de patógenos emergentes no sistema Sporothrix-esporotricose.

Processo: 15/19746-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2016
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Pesquisador responsável:Zoilo Pires de Camargo
Beneficiário:Anderson Messias Rodrigues
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Sporothrix schenckii   Fungos   Esporotricose   Sporothrix   Micologia   Biologia molecular

Resumo

A esporotricose é uma doença negligenciada e emergente entre seres humanos e animais. A micose é causada após a introdução traumática do fungo Sporothrix nos tecidos cutâneos e subcutâneos do hospedeiro com disseminação linfática regional. Sporothrix frequentemente associados à infecção em mamíferos incluem S. brasiliensis, S. schenckii, S. globosa e S. luriei, os quais formam um grupo monofilético denominado complexo S. schenckii. Linhagens basais de Sporothrix estão inseridas em um clado ambiental, e são flanqueadas filogeneticamente por Ophiostoma spp. associados ao solo, material vegetal em decomposição e insetos. Evidências recentes demostraram a emergência da patogenicidade no complexo S. schenckii como uma ameaça ao hospedeiro mamífero. Neste contexto, o principal objetivo deste projeto é compreender como diferentes espécies de Sporothrix, divergentes filogeneticamente, são capazes de infectar o ser humano. A abordagem sugerida envolve o sequenciamento de genomas inteiros de uma variedade de isolados patogênicos e não patogênicos de Sporothrix, além de análises de genômica comparativa e funcional entre agentes com diferentes ecologias dentro dos Ophiostomatales. Análises comparativas dos genomas de Sporothrix revelarão importantes insights sobre a evolução dos Ophiostomatales (estrutura do genoma, sintenia global, regiões linhagens-específicas), assim como permitirão identificar grupos de genes especificamente ligados aos fatores de virulência e mecanismos de sobrevivência durante a infecção. Análises de genômica funcional baseadas em perfis de expressão gênica nos permitirá explorar vários fatores de virulência, importantes vias metabólicas, bem como diversos genes codificadores de proteínas e pequenos RNAs não previamente associadas com a infecção. A principal expectativa deste projeto é ampliar significativamente a nossa compreensão da diversidade genética e resposta fisiológica em Sporothrix, um passo inicial para o desenvolvimento de métodos melhores para controle destes patógenos.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
La esporotricosis, una enfermedad emergente de los gatos, puede afectar a humanos 
Sporotrichosis, an emerging disease that affects cats, can be transmitted to humans 
Doença emergente que afeta gatos pode atingir humanos 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DELLA TERRA, PAULA PORTELLA; RODRIGUES, ANDERSON MESSIAS; FERNANDES, GEISA FERREIRA; NISHIKAKU, ANGELA SATIE; BURGER, EVA; DE CAMARGO, ZOILO PIRES. Exploring virulence and immunogenicity in the emerging pathogen Sporothrix brasiliensis. PLoS Neglected Tropical Diseases, v. 11, n. 8 AUG 2017. Citações Web of Science: 10.
FERREIRA GREMIAO, ISABELLA DIB; MONTEIRO MIRANDA, LUISA HELENA; REIS, ERICA GUERINO; RODRIGUES, ANDERSON MESSIAS; PEREIRA, SANDRO ANTONIO. Zoonotic Epidemic of Sporotrichosis: Cat to Human Transmission. PLOS PATHOGENS, v. 13, n. 1 JAN 2017. Citações Web of Science: 38.
RODRIGUES, ANDERSON MESSIAS; DE HOOG, G. SYBREN; DE CAMARGO, ZOILO PIRES. Sporothrix Species Causing Outbreaks in Animals and Humans Driven by Animal-Animal Transmission. PLOS PATHOGENS, v. 12, n. 7 JUL 2016. Citações Web of Science: 25.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.