Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de um novo fitocosmético com propriedades antienvelhecimento a partir do extrato da Agave sisalana

Processo: 15/22314-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2016
Vigência (Término): 02 de abril de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Etnofarmacologia
Pesquisador responsável:Lucinéia dos Santos
Beneficiário:Nadine Mendes Nascimento
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL-ASSIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Assis. Assis , SP, Brasil
Assunto(s):Sisal   Fotoproteção   Peroxidação de lipídeos

Resumo

A radiação ultravioleta é capaz de atravessar a camada de ozônio e atingir a pele, causando danos irreversíveis às células. Estes danos na pele, que envolvem desde a membrana da célula até o seu DNA, e que causam o envelhecimento celular podem ser evitados com o uso de filtros solares. Entretanto, os fotoprotetores também podem causar irritações na pele. A fim de reduzir esses efeitos, extratos vegetais ricos em compostos fenólicos estão sendo empregados em formulações cosméticas com filtros solares sintéticos para promover sua atividade antioxidante, proteger a pele contra a radiação solar e evitar envelhecimento celular. O Brasil é o maior produtor do mundo de Agave sisalana, uma monocotiledônea popularmente conhecida como sisal, e estudos realizados anteriormente, inclusive alguns desenvolvidos em nosso laboratório, já confirmaram ações antioxidante e fotoprotetora dos extratos da raiz, além de evidenciarem altas concentrações de taninos e flavonoides. Diante desses resultados, este projeto tem por objetivo avaliar a toxicidade do extrato hidroalcoólico da raiz do sisal, a fim de estabelecer a segurança de seu uso e, então, desenvolver uma emulsão estável enriquecida com o extrato do sisal e realizar as avaliações das ações antioxidante e antienvelhecimento desta emulsão, bem como a quantificação de flavonoides e taninos condensados desta. Além disso, é objetivo deste estudo fazer a determinação in vitro da fotoproteção de diferentes emulsões com o extrato do sisal e realizar o seu controle de qualidade. Este projeto trata de uma cooperação entre a UNESP e a Secretaria da Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia - SECTI e visa uma solução técnica-científica, economicamente viável, para o aproveitamento dos resíduos do sisal que estão sendo desprezados e o desenvolvimento sustentável e de promoção social da maior região produtora do sisal, que se situa entre as mais pobres do país.