Busca avançada
Ano de início
Entree

Transição de fases juvenil-reprodutiva em Passiflora organensis (Passifloraceae, Decaloba)

Processo: 15/25633-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2016
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Adriana Pinheiro Martinelli
Beneficiário:Tatiana de Souza Moraes
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/12853-1 - Transição de fases juvenil-reprodutiva em Passiflora organensis (Passifloraceae, Decaloba), BE.EP.DR
Assunto(s):Expressão gênica

Resumo

O gênero Passiflora inclui cerca de 600 espécies de plantas essencialmente tropicais. O gênero é um excelente modelo para estudos de transição de fase, pois há diferenças morfológicas evidentes entre as plantas nas fases juvenil, madura vegetativa e madura reprodutiva. Na quase totalidade das espécies do gênero Passiflora, as plantas na fase juvenil produzem folhas com morfologia diferente da fase madura e não produzem gavinhas. Já as plantas na fase madura vegetativa, produzem gavinhas nas axilas das folhas e na fase madura reprodutiva produzem, a partir dos meristemas axilares, gavinhas e flores. A ontogênese e a disposição destas estruturas levaram autores a considerar a gavinha em Passiflora como parte do eixo primário de uma inflorescência reduzida, porém os mecanismos moleculares que definem estas estruturas de origem comum, mas com identidades totalmente diversas, não estão definidos. Já na planta modelo Arabidopsis thaliana, os mecanismos moleculares envolvidos na transição de fase são controlados por uma hierarquia de interações que envolvem os produtos dos genes FLOWERING LOCUS T (FT), LEAFY (LFY), FRUITFULL (FUL), APETALA1 (AP1), seu parálogo CAULIFLOWER (CAL) e TERMINAL FLOWER 1 (TFL1). O produto do gene FT é considerado como o agente florígeno que ativa toda a via de florescimento, enquanto LFY, AP1, CAL e FUL promovem a identidade do meristema floral e TFL1 é requerido para a manutenção da identidade do meristema de inflorescência, regulando o padrão de expressão de LFY e AP1. Todos estes genes mencionados (exceto FT), codificam fatores de transcrição. Com o uso de ferramentas apropriadas ao estudo do desenvolvimento, que incluem microscopia óptica e eletrônica, associadas a técnicas de análise de expressão gênica, o presente trabalho pretende: a) caracterizar morfo-anatomicamente a transição das fases juvenil-reprodutiva em P. organensis; b) identificar possíveis ortólogos de FT, LFY, AP1, TFL1 no gênero Passiflora e estudar sua estrutura gênica; c) caracterizar o padrão de expressão dos genes mencionados. Uma vez que P. organensis já possui seu genoma sequenciado, o melhor conhecimento sobre a transição das fases juvenil-reprodutiva nesta espécie, poderá trazer contribuições preciosas para futuros estudos de incremento de produção em espécies do gênero Passiflora com interesse comercial, como o maracujazeiro.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MORAES, TATIANA SOUZA; DORNELAS, MARCELO CARNIER; MARTINELLI, ADRIANA PINHEIRO. FT/TFL1: Calibrating Plant Architecture. FRONTIERS IN PLANT SCIENCE, v. 10, FEB 13 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.