Busca avançada
Ano de início
Entree

Seletividade de herbicidas em espécies arbóreas utilizadas em projetos de restauração vegetal

Processo: 16/02182-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2016
Vigência (Término): 30 de abril de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Manejo Florestal
Pesquisador responsável:Patrícia Andrea Monquero
Beneficiário:Camila Tonelotti Simões
Instituição-sede: Centro de Ciências Agrárias (CCA). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Araras , SP, Brasil
Assunto(s):Plantas daninhas   Restauração ecológica   Florestas   Fitotoxicidade

Resumo

O conhecimento escasso sobre o comportamento de mudas de espécies florestais nativas em relação à seletividade de herbicidas, aliado às estratégias atuais em restauração de ecossistemas naturais degradados, justifica a execução desse projeto. Serão testadas 80 espécies que ocorrem em florestas estacionais semideciduais, além de serem amplamente utilizadas em projetos de restauração: Bauhinia forficata Link., Croton urucurana Bail., Guazuma ulmifolia Lam., Inga vera Willd. , Senna Multijuga (Rich.) H.S. Irwin & Barneby, Solanum granulosoleprosum Dunal, Heliocarpus popayanensis Kunth (Heliocarpus americanus L.), Acnistus arborescens (L.) Schltdl., Alchornea triplinervia (Spreng.) Muell. Arg. , Allophylus edulis (A.St.-Hill.) Radlk., Aloysia virgata (Ruiz & Pav.) Juss., Anadenanthera colubrina (Vell.) Bren., Astronium graveolens Jacq., Balfourodendron riedelianum (Engl.) Engl., Brysonima laxiflora, Cabralea canjerana (Vell.) Mart., Campomanesia gaviroba, Campomanesia xanthocarpa O. Berg, Cariniana estrellensis (Raddi) Kuntze., Casearia gossypiosperma Briq., Cedrela fissillis Vell. , Ceiba speciosa, Centrolobium tomentosum Guillemin ex Benth. , Colubrina glandulosa Perkins, Cordia superba Cham., Cordia trochotoma (Vell.) Arrab. ex Steud, Dalbergia nigr, Eugenia brasiliensis, Eugenia pyriformis Cambess., Eugenia uniflora L., Ficus obtusifolia, Gallesia integrifolia ( Spreng. ) Harms, Gochnatia polymorpha (Less.) Cabrera, Guapira opposita (Vell.) Reitz, Guarea kunthiana A. Juss., Handroanthus chrysotrichus (Mart. ex DC.) Mattos (Tabebuia crysotricha), Helietta apiculata Benth. , Hyeronima akchorneoides, Inga laurina (Sw.) Willd., Jacaranda micrantha, Lafoensia pacari A. St. -Hil., Lithraea molleoides (Vell.) Engl. , Luehea candicans Mart., Luehea divaricata Mart., Magnolia ovata, Miconia chamissois , Miconia rigidiuscula Cogn., Mimosa bimucronata, Mollinedia uleana, Myracridruon urundeuva Allemão, Myrocarpus frondosus Allemão, Myrsine coriacea (Sw.) R. Br. ex Roem. & Schult., Ocotea puberula (Rich.) Nees,Ocotea silvestris Vattimo , Parapiptadenia rigida (Benth.) Brenan, Peltophorum dubium (Spreng.) Taub., Piptadenia gonoacantha (Mart.) J.F. Mac- Br., Poecilanthe parviflora Benth. , Posoqueria acutifolia Mart. , Prunus myrtifolia (L.) Urb. , Psidium catteleianum Sabine, Psidium myrtoides O. Berg, Sapindus saponaria L. , Schinus terebinthifolius Raddi, Senna silvestris (Vell.) H.S. Irwin & Barneby, Solanum pseudoquina A. St.- Hil., Sorocea bonplandii (Baill.) W.C. Burguer; Lanj. & Wess. Boer, Strychnos brasiliensis (Spreng.) Mart. , Tabebuia insignis (Miq.) Sandwith, Tabebuia rosealba (Ridl.) Sandwith, Tachigali denudata (Vogel) Oliveira- Filho, Terminalia brasiliensis (Cambess, ex A.St.- Hil.) Eichler , Tetrorchidium rubrivenium, Trichillia pallens C.DC., Xylosma cilliatifolia (Clos) Eichler, Myrcia ilheosensis, Maytenus gonoclada, Eugenia Brevistyla D. Legrand, Erythroxylum argentinum O. C. Schulz, Raulinoreitzia crenulata, Erythroxylum ambiguu, Peyr. , Tibouchina granulosa Cogn. Os herbicidas sulfentrazone, oxyfluorfen e haloxyfop-methyl serão aplicados em diferentes doses (0D, 1/2D, 1D e 2 D, sendo D= dose comercial de cada produto) sobre as mudas das diferentes espécies arbóreas com o intuito de avaliar se os produtos interferem diferencialmente na sobrevivência e crescimento das mudas.Os experimentos serão conduzidos no Centro de Ciências Agrárias, UFSCar, Araras, SP. O ensaio de seletividade de herbicidas terá um delineamento inteiramente aleatorizado com quatro repetições. Após a aplicação serão avaliados a fitotoxicidade aos 7, 14, 21, 30 e 45 dias após o tratamento (DAT) ea massa da matéria seca da parte aérea aos 50 DAT. Os dados serão interpretados por meio de análises de variância (ANOVA) - cujas médias entre tratamentos serão comparadas pelos teste de Tukey ou teste t (p = 0,05) e por análises de regressão linear.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.