Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de uma formulação de liberação sustentada para tetracaína encapsulada em lipossomas com gradiente iônico

Processo: 16/00463-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2016
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Pesquisador responsável:Eneida de Paula
Beneficiário:Munazza Tamkeen Fatima
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/14457-5 - Carreadores baseados em lipídios (SLN/NLC e lipossomas com gradiente iônico) como estratégia para aumentar a encapsulação e a potência de anestésicos locais, AP.TEM
Assunto(s):Analgesia

Resumo

A encapsulação de anestésicos locais (AL) em lipossomas com gradiente iônico (IGL) mostrou ser uma estratégia eficaz para aumentar o tempo de anestesia, por manter o fármaco por mais tempo, no local de ação. Mowat e col. (Anesthesiol. 85:635, 1996) reportou o uso de IGL com interior aquoso ácido (300 mM citrato, pH 4,0) e pH externo 7,4 para encapsulação de bupivacaína. Com lipossomas unilamelares grandes, compostos de dioleilPC/cholesterol 55:45 mol% foi possível encapsular (%EE = 64-82%) bupivacaína a 2%, com liberação sustentada (9-14h) após administração intradermal em preás. Grant e col. (Anesthesiol 101:133, 2004) prepararam lipossomas multivesiculares com gradiente iônico de (NH4)2SO4 e, após aplicação interadérmica em voluntário, registraram até 19, 38 e 48 h de anestesia com 0,5, 1 e 2% de bupivacaína, respectivamente. Recentemente, nosso grupo mostrou que a encapsulação de ropivacaína a 2% em IGL (de PC de ovo/col/alfa-tocoferol 4/3/0,07 mol%) preparadas com citrato e sulfato promoveu liberação sustentada por até 25 h (Silva et al., J Lip. Res.26:1, 2015). Igualmente, a encapsulação de dibucaína a 0,012% aumentou o tempo de duração da anestesia (27h) em relação ao fármaco livre (11 h) (Couto, V.M., dissertação de Mestrado / Unicamp, 2015). Todos esses relatos são para AL do tipo aminoamida. A tetracaína (TTC) é um potente AL do tipo aminoéster usado em oftalmologia e anestesia tópica, cujo potencial carreamento em IGL ainda não foi explorado. O objetivo deste projeto é o de desenvolver uma formulação de liberação sustentada para TTC em IGL, capaz de manter as concentrações no local de ação e prolongar o efeito anestésico da tetracaína, para uso em anestesia tópica (queimaduras,...) ou oftálmica (cirúrgicas e pós-operatório). Para tanto, objetivamos preparar, caracterizar e testar in vitro e in vivo a atividade farmacêutica de formulação de TTC em IGL, em comparação com o fármaco livre. (AU)