Busca avançada
Ano de início
Entree

Representações discursivas dò leitor infantil e juvenil inscritas Èm adaptações dò clássico Dom Quixote de La Mancha Pará o público brasileiro

Processo: 16/02531-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 31 de março de 2018
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Teoria e Análise Lingüística
Pesquisador responsável:Luzmara Curcino Ferreira
Beneficiário:Jessica de Oliveira
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Análise do discurso

Resumo

A produção de adaptações de clássicos da literatura para o público infantil ou juvenil é uma prática do mercado editorial, hoje em dia recorrente, que se expandiu a partir do século XX, cuja indicação e leitura, apesar das diferentes críticas recebidas sobre o valor de alguns desses textos, é assumida atualmente pelo próprio universo escolar. Em função de seu relativo reconhecimento e de sua significativa expansão, buscaremos em nossa pesquisa retomar os estudos concernentes à história do desenvolvimento dessa prática de adaptação de clássicos, em especial em contexto nacional, cujas primeiras tentativas de adaptações remontam do século XIX até a atualidade. Com base nesses estudos, buscaremos levantar as possíveis mudanças nos procedimentos editoriais adotados e, consequentemente, nas formas materiais desses objetos culturais, de modo a depreender certas representações da leitura e do leitor infantil e juvenil indiciadas nesse processo de adaptação. Assim, nosso objetivo com a presente proposta de pesquisa é o de analisar diversas adaptações de um clássico da literatura universal, a fim de levantarmos as representações desse público leitor a que se destinam, que são compartilhadas pelos editores e adaptadores quando da formulação de uma linha editorial como esta. Para tanto, nosso corpus constitui-se de adaptações do clássico Dom Quixote de la Mancha, publicadas por diferentes editoras brasileiras, da década de 30 até os dias atuais. Em nossa análise, procederemos por comparação, cotejando tanto a obra integral com as suas respectivas adaptações, quanto comparando uma adaptação às outras, apoiados na Análise do Discurso francesa, na História Cultural da leitura , e em estudos que tomaram como objeto de suas reflexões as adaptações de obras clássicas. Palavras-chave: Adaptações infantis e juvenis de clássicos, Representações do leitor jovem, Análise do Discurso, História cultural da leitura.