Busca avançada
Ano de início
Entree

Paulo Leminski, tradutor de Petrônio: Satyricon, estudo e comentário

Processo: 16/01548-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Línguas Clássicas
Pesquisador responsável:Paulo Sérgio de Vasconcellos
Beneficiário:Livia Mendes Pereira
Instituição-sede: Instituto de Estudos da Linguagem (IEL). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/06637-4 - O Satyricon de Petrônio e sua recepção na literatura de língua portuguesa, BE.EP.DR

Resumo

Buscando contribuir com a pesquisa das traduções dos clássicos greco-romanos e com a recepção desses textos em nossas Letras, o presente projeto propõe-se a estudar e divulgar a tradução do Satyricon, de Petrônio, levada a cabo pelo poeta Paulo Leminski. Como pode ser constatado na leitura de sua biografia e como pode ser recorrentemente percebido nos temas que frequentam sua obra, o autor foi um conhecedor e divulgador da língua e da literatura latina. Estudado inicialmente no mosteiro São Bento, na cidade de São Paulo, quando Leminski tinha apenas 13 anos, esse idioma antigo constituiu uma importante fonte criativa revisitada e repensada durante toda sua carreira literária. Além de traduções feitas diretamente do Latim, como as da Ode I, 11, de Horácio (1984) e do Satyricon, de Petrônio (1987), o trabalho com textos literários latinos pode ser encontrado em obras como Metaformose e Catatau. O trabalho tem por base o confronto entre o texto latino e a tradução leminskiana e procura fornecer um estudo da recepção do romance petroniano na literatura brasileira contemporânea, que encontra em Leminski um de seus expoentes. Assim, ao aliar o conhecimento em Língua Latina e a História da Tradução, nossa proposta procura revelar a importância da literatura da Antiguidade na literatura em língua portuguesa, através de um exemplo de sua recepção.