Busca avançada
Ano de início
Entree

Ceticismo e primeira pessoa

Processo: 16/03277-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 09 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - Epistemologia
Pesquisador responsável:Marco Antonio Caron Ruffino
Beneficiário:Joshua Rowan Thorpe
Instituição-sede: Centro de Lógica, Epistemologia e História da Ciência (CLE). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):17/10221-5 - Ceticismo e autoconhecimento, BE.EP.PD

Resumo

Em uma de suas formas, o ceticismo é a posição segundo a qual eu, ou talvez nós, não tenho (temos) nenhum conhecimento empírico. Argumentos poderosos para esta posição aparentemente inaceitável constituem, tanto historicamente quanto atualmente. um dos problemas centrais da filosofia. Parece ser apenas uma questão estilística se a posição cética é formulada na primeira pessoa (singular ou plural), como foi acima, ou na terceira pessoa. Assim, muitos filósofos contemporâneos sustentam que o ceticismo é a posição de acordo com a qual algum sujeito particular S, ou talvez um grupo de sujeitos G, não tem nenhum conhecimento empírico. Outros filósofos contemporâneos formulam a posição cética na primeira pessoa, mas creem que a mesma poderia ser igualmente formulada na terceira pessoa. O objetivo primário deste projeto de pesquisa é argumentar que não é uma mera questão estilística a tese cética ser formulada na primeira ou na terceira pessoa. Ao contrário, o ceticismo é essencialmente ligado à primeira pessoa. O que eu quero dizer com isso é que, para que o ceticismo de fato represente um problema filosófico premente, ele precisa ser formulado na primeira pessoa. Disto se seguem várias consequências para o nosso entendimento tanto do surgimento do ceticismo quanto daquilo que é requerido para dar uma resposta adequada ao mesmo.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
THORPE, JOSHUA ROWAN. Semantic self-knowledge and the vat argument. PHILOSOPHICAL STUDIES, v. 176, n. 9, p. 2289-2306, SEP 2019. Citações Web of Science: 0.
THORPE, JOSHUA ROWAN. Radical interpretation, scepticism, and the possibility of shared error. SYNTHESE, v. 196, n. 8, SI, p. 3355-3368, AUG 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.