Busca avançada
Ano de início
Entree

Valor nutritivo e qualidade higiênico-sanitária de plantas e grãos de milho sob efeito de estratégias de ensilagem

Processo: 16/06517-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Pastagens e Forragicultura
Pesquisador responsável:Luiz Gustavo Nussio
Beneficiário:Bruno Augusto Valverde Arthur
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/06819-4 - Valor nutritivo e qualidade higiênico-sanitária de plantas e grãos de milho sob efeito de estratégias de ensilagem, AP.TEM
Assunto(s):Silagem   Fermentação   Digestibilidade   Amido   Milho

Resumo

O cultivo de milho para produção de silagens no Brasil é realizado majoritariamente a partir de materiais genéticos de endosperma duro, o que demanda estratégias de manejo que propiciem ganhos em digestibilidade, sobretudo da fração amido dos grãos. Objetiva-se com esta proposta: I. determinar o tempo mínimo de armazenamento de silagens de milho planta inteira, contendo ou não aditivos microbianos, para a obtenção de digestibilidades satisfatórias do amido; II. avaliar a influência do genótipo de milho (endosperma duro ou dentado), umidade das plantas à época de corte e tempos de armazenamento de silagens de milho planta inteira sobre aspectos qualitativos e perdas das silagens; III. elucidar a influência do tipo de endosperma, ponto de maturação das plantas e tempos de armazenamento de silagens de grãos úmidos ou reconstituídos sobre a diversidade microbiológica, características químico-físico-fermentativas e disponibilidade do amido das silagens; IV. avaliar o teor de umidade, tamanho médio de partículas e o tipo de aditivo mais adequados à ensilagem do milho grão úmido ou reconstituído e V. avaliar o desempenho de vacas leiteiras alimentadas com silagens de grãos aditivadas ou não. Para tanto, serão realizados sete experimentos desenvolvidos na ESALQ/USP e com a colaboração da APTA-Pindorama, em um horizonte de quatro anos de pesquisas. (AU)