Busca avançada
Ano de início
Entree

Acetilcolinesterase e beta-secretase 1: estudo de condições de co-imobilização para triagem de ligantes

Processo: 16/02873-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 31 de março de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Pesquisador responsável:Carmen Lúcia Cardoso
Beneficiário:Adriana Ferreira Lopes Vilela
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/01710-1 - Ligantes enzimáticos: novos modelos de triagem, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):16/15037-5 - Co-imobilização das enzimas acetilcolinesterase e beta-secretase 1: estudo de condições para triagem de ligantes, BE.EP.DR
Assunto(s):Doença de Alzheimer   Química médica   Acetilcolinesterase

Resumo

A identificação de compostos que se liguem especificamente a alvos biológicos tem grande importância nos estudos de desenvolvimento de novos fármacos auxiliando na redução de tempo e no número de candidatos. Estratégias eficientes vêm se desenvolvendo e uma ferramenta bastante útil é a cromatografia de bioafinidade que envolve a imobilização de um alvo. Esse agente de ligação pode ser uma sequência de DNA, RNA, anticorpos, receptores, membranas, enzimas, proteínas, corantes biomiméticos, substrato ou inibidor de enzimas ou qualquer outra molécula alvo. A imobilização de enzimas tem mostrado diversas vantagens em estudos enzimáticos on line comparados aos ensaios enzimáticos em solução, dentre elas; aumento da estabilidade em presença de solventes orgânicos sem perda considerável da atividade catalítica, reutilização e o uso de pequenas quantidades de enzima. Se há mais de um alvo de interesse, a co-imobilização de enzimas também pode ser aplicada. Trata-se de uma técnica que envolve a imobilização de dois ou mais alvos em um mesmo suporte e estes utilizados simultâneamente durante a triagem de ligantes. Neste caso tem-se a criação de um ambiente específico que mimetize uma célula podendo ser considerados como modelos de enzimas intracelulares compartimentados e modelos in vitro para os processos celulares. A utilização de biorreatores enzimáticos tendo enzimas imobilizadas como fase estacionária conectados a sistemas cromatográficos de alta eficiência permite a junção de características de ambos como: seletividade, rapidez, reprodutibilidade e ensaios não destrutivos com a especificidade e sensibilidade de uma reação enzimática. As enzimas, colinesterases e secretases, são alvos de interesse nos estudos de desenvolvimento de fármacos para a Doença de Alzheimer, pois estão envolvidas na etiologia e progresso da doença. Considerando o interesse por inibidores destas enzimas, que atuem na presença de ambos, o objetivo desse projeto é o desenvolvimento de dois métodos: (1) envolvendo a enzima Acetilcolinesterase (AChE) e b-secretase-1 (BACE1) co-imobilizadas por aprisionamento, e, (2) a imobilização da BACE-1 por ligação covalente, formando biorreatores. Ambos serão utilizados na identificação de substâncias ativas em coleções naturais e/ou sintéticas utilizando sistemas cromatográficos multidimensionais. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
LOPES VILELA, ADRIANA FERREIRA; SEIDL, CLAUDIA; LIMA, JULIANA MARIA; CARDOSO, CARMEN LUCIA. An improved immobilized enzyme reactor-mass spectrometry-based label free assay for butyrylcholinesterase ligand screening. Analytical Biochemistry, v. 549, p. 53-57, MAY 15 2018. Citações Web of Science: 7.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
VILELA, Adriana Ferreira Lopes. Co-imobilização das enzimas acetilcolinesterase e B-secretase1: estudo de condições para triagem de ligantes. 2018. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.