Busca avançada
Ano de início
Entree

Selênio na fração degradada de Brachiaria brizantha biofortificada

Processo: 16/01771-9
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2016
Vigência (Término): 30 de abril de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Adibe Luiz Abdalla
Beneficiário:Thainá Carolina Graciano
Instituição Sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Gases do efeito estufa   Selênio   Adubação   Pastagens   Ruminantes   Biofortificação   Forragem   Capim braquiarão   Técnicas in vitro
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:biofortificação | Degradabilidade in vitro | Gases de Efeito Estufa | ruminantes | selenato de sódio | Zootecnia

Resumo

O Selênio (Se) é um importante elemento para plantas e animais, porém o Brasil, em geral, contém solos pobres em Se, o que pode gerar deficiências em plantas e principalmente aos animais. No reino animal, o Se é considerado um nutriente e sua ausência pode resultar em baixa produtividade e até a incidência de doenças. Porém, há poucas informações relativas à eficiência no fornecimento de Se aos animais através da adubação de pastagens com Se. O objetivo será estimar a fração do Se da forragem que será disponibilizada ao animal após o processo fermentativo do material vegetal no rúmen, e consequentemente quantificar a fração de Se que será rejeitada pelo animal devido estar contida na fração indigestível do alimento com uso de técnicas in vitro. Para isso, será utilizada forragem biofortificada através da adubação com 0, 10, 20, 40, 80 e 160 g ha-1 de Se aplicados por meio de revestimento da ureia juntamente com o Cu e B em Brachiaria brizantha e colheita da parte aérea 30 dias após adubação. Será realizada a avaliação de degradabilidade in vitro através de ensaio de produção de gases. As análises de Se serão feitas após a separação da fração digerida e da fração não degradada do material forrageiro, a fim de estimar o Se aproveitado e o Se não utilizado pelos microrganismos. Os dados obtidos poderão auxiliar na dose de Se recomendada para a adubação de pastagens já que o Se consumido em quantidades inadequadas apresenta elevado potencial tóxico aos animais e a Brachiaria brizantha tem perfil de acumuladora passiva de Se.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)