Busca avançada
Ano de início
Entree

Balzac no Brasil: o romance de Alencar e a formação do gosto literário (Século XIX)

Processo: 15/24023-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras
Pesquisador responsável:Lucia Granja
Beneficiário:Lilian Tigre Lima
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/07342-9 - A circulação transatlântica dos impressos: a globalização da cultura no século XIX, AP.TEM
Assunto(s):História da literatura

Resumo

Vinculado ao Projeto Temático FAPESP 2011/07342- 9 - "A circulação transatlânticados impressos: a globalização da cultura no século XIX", o trabalho que aqui se propõe éconsequência da pesquisa de Iniciação Científica, intitulada "A Livraria B. L. Garnier e arecepção de Honoré de Balzac no Brasil do século XIX" (FAPESP 2014/05387-3), por meioda qual levantamos e analisamos, em sua circulação e consequência em termos de leitura, ostítulos balzaquianos anunciados por B. L. Garnier, no Brasil, entre 1850 e 1870. Agora, nestetrabalho de mestrado, além de ampliarmos as fontes para a pesquisa em catálogos de outraslivrarias, a saber para a Livraria Garraux e Livraria Contemporânea de Faro e Lino, atentarnos-emos à circulação da literatura de Balzac nos jornais, em especial, no Diário do Rio deJaneiro, dando maior atenção a um tipo de anúncio específico que observamos no periódicofocalizado, os leilões, como uma das estratégias para verticalizar a contribuição com osestudos da caracterização do público leitor de literatura (romances) no Brasil. Por outro lado,a partir desse trabalho de levantamento de dados, interessa-nos, aqui, dar continuidade aoestudo da "acomodação" (MEYER, 1996) das ideias literárias balzaquianas em territóriobrasileiro. Isso será feito a partir da hipótese de que foi José de Alencar, o "nosso pequenoBalzac" (CANDIDO, 1959, p. 231), quem teria feito por aqui a principal recepção edivulgação da obra de Balzac, sobretudo através de seus três perfis de mulher. Isso porque, aanálise das fontes primárias abre novas possibilidades para o conhecimento da História daLeitura literária e permite inferir que muito se ganha ao tornar prismática a ideia de que ocontato do público leitor brasileiro com os romances europeus preexistiu à leitura dosromances brasileiros, como afirma Schwarz (1977). Assim, por meio da pesquisa em fontesprimárias, pretendemos contribuir para uma compreensão mais diversificada dos modos deprodução e divulgação da literatura no século XIX, visto que conhecer os bastidores dasprincipais livrarias e jornais do Oitocentos no Brasil é buscar compreender também como sedava e pensava a circulação e recepção da literatura na época (GRANJA, 2013).

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
LIMA, Lilian Tigre. Balzac no Brasil : entre livreiros-editores e o romance de José de Alencar. 2018. 189 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.