Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise dos mecanismos pelos quais os polifenóis quercetina e epigalocatequina 3- galato modulam as alterações epigenéticas presentes nas síndromes mielodisplásicas e leucemias

Processo: 15/21164-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2016
Vigência (Término): 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Sara Teresinha Olalla Saad
Beneficiário:Marisa Claudia Alvarez de Prax
Instituição-sede: Centro de Hematologia e Hemoterapia (HEMOCENTRO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/21801-2 - Preditores de gravidade e novos tratamentos para neoplasias da medula óssea, AP.TEM
Assunto(s):Quercetina   Epigênese genética   Leucemia   Síndromes mielodisplásicas   Flavonoides

Resumo

As alterações epigenéticas têm um papel importante nas doenças hematopoiéticas, e por serem reversíveis constituem alvos terapêuticos importante que levou ao desenvolvimento de drogas com a capacidade de reverter estas modificações e também à procura de compostos naturais com esta capacidade. Resultados recentemente publicados pelo nosso grupo mostraram que a Quercetina (Qu), in vitro e in vivo (xenotransplante), exerce um efeito antiproliferativo, ativa a via autofágica e aumenta os níveis da proteína pró-apóptotica BAX e reduz o nível de expressão das proteínas BCL2 e MCL-1C. Em relação às alterações epigenéticas, (artigo em processo de submissão), observamos que o tratamento com Qu induziu a demetilação da região promotora dos genes pró-apoptóticos BCL2L11, DAPK (in vitro), modulou o perfil de expressão de 63% (17) e 24%(4) (in vivo e in vitro, respectivamente) dos miRNAs avaliados, entre os quais 42%(7) e 100% (4) corresponderam exclusivamente a miRNAs que têm como alvo genes anti-apoptóticos e miRNAs que têm função anti-apoptótica. Foi observado também que o tratamento com Qu aumentou de 2 a 15 vezes a expressão de histona 3 (H3ac) e 4 (H4ac) acetiladas na região promotora e 96% (80) dos genes avaliados. Levando em consideração estes resultados, objetivamos analisar os mecanismos pelo qual a Qu têm a capacidade de modificar as alterações epigenéticas observadas nas síndromes meilodisplásicas (SMD) e nas leucemias. Analisaremos também, o potencial do principal constituinte do chá verde, a Epigalocatequina 3- galato, em relação a sua capacidade de modificar as alterações epigenéticas presentes nestas doenças.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ALVAREZ, MARISA CLAUDIA; MASO, VICTOR; TORELLO, CRISTIANE OKUDA; FERRO, KARLA PRISCILLA; OLALLA SAAD, SARA TERESINHA. The polyphenol quercetin induces cell death in leukemia by targeting epigenetic regulators of pro-apoptotic genes. CLINICAL EPIGENETICS, v. 10, NOV 8 2018. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.