Busca avançada
Ano de início
Entree

OCORRÊNCIA DE AGENTES INFECCIOSOS EM PAPAGAIOS DO GÊNERO Amazona DE VIDA LIVRE E RECÉM-APREENDIDOS ORIUNDOS DO TRÁFICO: IMPLICAÇÕES PARA A CONSERVAÇÃO

Processo: 16/03928-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 01 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Tânia de Freitas Raso
Beneficiário:Frederico Fontanelli Vaz
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/19092-6 - Investigação sobre a diversidade e distribuição de adenovírus em aves de cativeiro e vida livre na Austrália, BE.EP.DR
Assunto(s):Técnicas de diagnóstico molecular   Doenças das aves

Resumo

O Brasil é o país com a maior diversidade de psitacídeos, aves estas que se encontram entre as mais ameaçadas de extinção no país. Populações de papagaios-de-cara-roxa (Amazona brasiliensis), papagaios-charão (A. pretrei) e papagaios-de-peito-roxo (A. vinacea) são consideradas ameaçadas. O papagaio-verdadeiro (A. aestiva) está na categoria pouco preocupante, mas há um especial interesse na espécie por ser o principal alvo do comércio ilegal. Informações sobre a saúde destas aves são escassas na literatura, assim, pesquisas de patógenos contribuem com as atividades de conservação das espécies. Três patógenos são importantes para os psitacídeos no contexto brasileiro atual: o circovírus, agente da Doença do Bico e das Penas; o herpesvírus, agente da Doença de Pacheco e; a Chlamydia psittaci. Deste modo, este estudo objetiva pesquisar estes agentes infecciosos em filhotes das espécies A. aestiva, A. brasiliensis, A. vinacea e A. pretrei em vida livre em quatro regiões do país e em filhotes recém-apreendidos do comércio ilegal; comparar a ocorrência e/ou prevalência dos agentes infecciosos entre os papagaios de vida livre e os apreendidos; avaliar as amostras positivas pelo sequenciamento e; avaliar o potencial impacto destes patógenos para a conservação das populações estudadas. Amostras de swabs de cloaca e orofaringe e amostras de sangue das aves serão coletadas para realização dos exames moleculares (PCR). Posteriormente, as amostras positivas serão caracterizadas por sequenciamento e análise de DNA. Os resultados deste estudo preencherão lacunas existentes no monitoramento da saúde dos psitacídeos e possibilitarão determinar o impacto dos patógenos nas populações analisadas, traçando as implicações destes para a conservação dessas populações.