Busca avançada
Ano de início
Entree

Validação experimental de microRNAs candidatos a regulação de genes de metilação de tRNA sob efeito de Cromossomos B e do sexo

Processo: 16/07743-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2016
Vigência (Término): 31 de outubro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:César Martins
Beneficiário:Adauto Lima Cardoso
Supervisor no Exterior: Manfred Schartl
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universität Würzburg, Alemanha  
Vinculado à bolsa:12/21546-9 - Análises imunocitogenéticas no peixe ciclídeo Astototilapia latifasciata: inferências epigenéticas e suas contribuições no entendimento do papel biológico de cromossomos B, BP.DR
Assunto(s):Citogenética   Epigênese genética   Cromossomos B   MicroRNAs   Sexo   Astatotilapia latifasciata

Resumo

Cromossomos B são elementos genéticos extras identificados no genoma de vários grupos de eucariotos e são tradicionalmente referidos como unidades não funcionais. O ciclídeo Astatotilapia latifasciata possui cromossomos B variando de 0 a 2 entre indivíduos e sua origem, evolução e aspectos funcionais são relativamente bem compreendidos, porém, seus efeitos epigenéticos são ainda pouco explorados. Metilação de RNAs transportadores (tRNA) é necessária para eficiência da tradução e estabilidade dessas moléculas. Essa modificação de RNA é conduzida pelos genes Trdmt1 e Nsun2, que possuem expressão modulada por cromossomos B e do sexo em A. latifasciata. microRNAs (miRNA) candidatos a regulação desses genes em A. latifasciata foram identificados e alterações em sua expressão poderiam explicar os efeitos na expressão de Trdmt1 e Nsun2. Porém, validações experimentais ainda precisam ser conduzidas. Portanto, o presente projeto visa validar as interações de miRNAs e seus alvos usando seus homólogos em linhagens celulares de Oryzias latipes e Xiphophorus maculatus. (AU)